PPGH/CCHLA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM HISTÓRIA DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA Telefone/Ramal: Não informado https://posgraduacao.ufrn.br/ppgh

Banca de DEFESA: JOÃO GILBERTO NEVES SARAIVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JOÃO GILBERTO NEVES SARAIVA
DATA: 10/04/2015
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório C, do CCHLA.
TÍTULO:

TODO NORDESTE QUE COUBER A GENTE PUBLICA: O THE NEW YORK TIMES E O NORDESTE BRASILEIRO NA ERA DA POLÍTICA DE BOA VIZINHANÇA (1933-1945)


PALAVRAS-CHAVES:

Nordeste do Brasil, The New York Times, representações espaciais


PÁGINAS: 143
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: História
RESUMO:

 O Nordeste brasileiro foi um tema constante para os jornalistas de um dos principais veículos de imprensa do mundo – oThe New York Times – entre 1933 e 1945. Nesse recorte, o governo dos Estados Unidos implementou uma nova política externa para a América Latina – conhecida como Política de Boa Vizinhança. Ela pregava, entre outros pontos, mais respeito e atenção para os países ao sul das suas fronteiras. Dada sua importância geoestratégica, o Brasil foi um dos países que mais recebeu atenção do corpo burocrático e imprensa estadunidense. Esta pesquisa investiga as múltiplas representações do Nordeste formuladas nas páginas do diário nova-iorquino nesse momento em que os holofotes estadunidenses estiveram sobre a região. Este trabalho delineia aproximações e distanciamentos entre o NYT, a imprensa e os governos dos Estados Unidos e do Brasil a partir das formas de se conceber essa parte específica do seu território brasileiro. Por meio da análise de textos, fotografias e mapas, essa dissertação se dedica a estabelecer conexões entre espaços, jornais e política dos anos 1930 e 1940. Nessas décadas houveram relevantes transformações no cenário político de ambos os países que permearam as notícias, reportagens e artigos do jornal. Conjunturas como as insurreições armadas de 1935 – conhecidas como Intentona Comunista -, a instalação e funcionamento do Estado Novo, e especialmente, a participação brasileira e norte-americana na Segunda Guerra e as negociações bilaterais em torno da instalação de bases estadunidenses no Brasil foram cardeais para as distintas imagens do Nordeste que circularam na publicação. A região foi reiteradamente tema do correspondente do diário nova-iorquino no Brasil, Frank M. Garcia, mas também esteve presente nas matérias de profissionais responsáveis por seções variadas: resenha de livros, editorial, turismo, assuntos exteriores, etc. Ao longo do recorte temporal investigado, as visões da região formuladas nas matérias publicadas no jornal sofreram metamorfoses profundas que também foram identificadas e analisadas. Do Nordeste da estiagem, fome e morte recorrente na literatura brasileira de então a ponto mais perigoso para a defesa hemisférica, passando com representações do Oeste norte-americano sem lei do século XIX e as da América Latina demarcada pelo domínio da natureza exótica e da estagnação, um espaço para ser transformado pelo conhecimento técnico norte-americano. 


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - CECILIA DA SILVA AZEVEDO - UFF
Interno - 1518086 - FRANCISCO DAS CHAGAS FERNANDES SANTIAGO JUNIOR
Presidente - 6350775 - HENRIQUE ALONSO DE ALBUQUERQUE RODRIGUES PEREIRA
Notícia cadastrada em: 17/03/2015 16:26
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa13-producao.info.ufrn.br.sigaa13-producao