PPGH/CCHLA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM HISTÓRIA DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA Telefone/Ramal: Não informado https://posgraduacao.ufrn.br/ppgh

Banca de DEFESA: PAULO ALEXANDRE SICATO CHITUNDA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: PAULO ALEXANDRE SICATO CHITUNDA
DATA: 24/09/2014
HORA: 14:00
LOCAL: Auditório C, do CCHLA.
TÍTULO:

Entre Missas e Batuques: Irmandade de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos em Recife, Goiana e Olinda – Século XVIII


PALAVRAS-CHAVES:

Compromissos. Cultura. Circularidade Cultural. Diáspora negra. Irmandade do Rosário. Subalternidade. 


PÁGINAS: 196
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: História
RESUMO:

Este trabalho representa um estudo comparativo entre três Irmandades negras que existiam em Pernambuco no século XVIII, trata-se da Irmandade de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos do Recife, Goiana e Olinda. O objetivo foi perceber as semelhanças e diferenças entre elas, tendo como parâmetro de comparação os seus estatutos de funcionamento, chamados de Compromissos. A partir da análise dos dados dos Compromissos, associados a outros documentos produzidos pelas Irmandades e pelas autoridades administrativas e religiosas da época, procurou-se traçar o perfil social das vilas em tela, bem como a participação da população negra em seu interior. Buscou-se entender as condições históricas daquele período, a partir do fato de que na sociedade escravista, o negro estava posicionado em uma situação de subalternidade. Entretanto, como elemento portador de cultura, apesar desta condição, conseguiu transpor obstáculos sociais, abrindo possibilidades para que pudessem ocorrer manifestações culturais próprias de seu grupo. A convivência nas Irmandades do Rosário, que, além de organismos de assistência mútua no âmbito da religião católica, também se constituíram como campos mediadores entre a cultura erudita e a cultura popular, fez com que aquelas organizações se tornassem espaços de sociabilidade e de representação permitidos pela ordem vigente. As Irmandades do Rosário em Recife, Goiana e Olinda, possuíam lógicas hierárquicas próprias que se engendravam ao processo de construção de novas identidades negras marcadas pela circularidade cultural que se tornou possível em função da diáspora atlântica. 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2177374 - FATIMA MARTINS LOPES
Interno - 350694 - MUIRAKYTAN KENNEDY DE MACEDO
Externo à Instituição - WELLINGTON BARBOSA DA SILVA - UFRPE
Notícia cadastrada em: 01/09/2014 14:09
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa09-producao.info.ufrn.br.sigaa09-producao