PPGH/CCHLA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM HISTÓRIA DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA Telefone/Ramal: Não informado https://posgraduacao.ufrn.br/ppgh

Ciclo Mundo Moderno em perspectiva: arte, política e religiosidade em debate Coordenaçao: Profa. Vanessa Spinosa (DEHIS)

 

Resumo

O evento "Ciclo Mundo Moderno em perspectiva: arte, política e religiosidade em debate" trará à discussão diversos temas transversais que cooperará com as discussões sobre a era moderna, entre os séculos XV e XVIII. Os encontros fazem parte de um projeto dos docentes da área de Moderna do curso de História de Natal, objetivando ampliar o escopo temático de conhecimentos dos alunos de graduação, futuros bacharéis ou licenciados em História. As palestras, com duração de 2 horas cada, contarão com a participação de diversas áreas do conhecimento: ciência política, música, filosofia e história. Através de diferentes abordagens, como mídias, pintura e explanação de obras clássicas sobre o pensamento político e religioso do período, espera-se envolver os discentes em debates sobre o Mundo Moderno e estimulá-los ao contato com a transversalidade e interdisciplinaridade no processo de construção do conhecimento e sua futura prática no ambiente escolar.

 

Objetivos:

* Ampliar os debates acerca do mundo moderno;

* Promover a discussão dos discentes com profissionais de outras áreas do saber;

* Gerar a reflexão sobre arte, musica e imagem como suportes importantes para a construção do conhecimento cientifico e cultural

 

Resultados esperados

Espera-se envolver os discentes em debates sobre o Mundo Moderno e estimulá-los ao contato com a transversalidade e interdisciplinaridade no processo de construção do conhecimento e sua futura prática no ambiente escolar.

 

 

Programação

Local: Auditório B CCHLA

 

Título: Hobbes e a formação do Estado moderno

A palestra tem por objetivo debater as partes I e II do livro Leviatã, de Thomas Hobbes (1588-1679), enfocando a curiosa maneira como o autor, ao defender o absolutismo pela via do consentimento original, termina por antecipar o Estado de Direito.

Alan Lacerda

Doutor em Ciência Política pelo IUPERJ e professor do Departamento de Políticas Públicas da UFRN

 

Data: 25/03

 

Titulo: Quadro “A morte do Padre Filipe Bourel": imagem e representações modernas

O mundo como Imagem como algo próprio da Idade Moderna e a representação jesuítica como exemplo de processos de identidade.


Maria Emília Monteiro Porto

Doutora em História pela Universidade de Salamanca e professora do Departamento de História da UFRN

Data: 28/03/2014

 

 

 

Título: A Música e sua dimensão histórica do século XIV ao séc. XVI

Breve introdução histórica da Música do século XIV ao século XVI, mostrando uma breve analise dos gêneros musicais deste período e seus principais compositores.

Gislene de Araújo Alves

Professora de Arte/ Música no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte - IFRN e coordenadora do Projeto EnCantus do Sal do IFRN - Campus Macau/RN. Pós Graduada em Educação Musical  pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2013), Graduação em Educação Artística - Música pela UFRN (2009). Mestranda em Educação Musical pela UFRN.

Data: 07/04

Tema: Aspectos culturais na expansão ultramarina: os índios e os Outros na América portuguesa.

Filme: Hans Staden (1999)

Resumo: Com o fim de discutir expressões da cultura indígena colonial no primeiro século de colonização e expansão ultramarina portuguesa na América, a palestra objetiva se valer de um dos mais importantes cronistas coloniais – Hans Staden – para refletir sobre as primeiras relações sociais advindas do contato entre lógicas culturais distintas.

 

Lígio José de Oliveira Maia

Doutor em História – Universidade Federal Fluminense

Professor Adjunto de História Moderna, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

 

data: 15/04/2014

Título: De pace fidei: Pressupostos para a concórdia e a “paz perpétua” nas religiões

Resumo:
O De pace fidei, texto que Nicolua de Cusa (1401-1464) escreveu em 1453, não é um texto ocasionado por disputas filosófico-teológicas. Motivado pelas perseguições e guerras que se seguiram a tomada de Constantinopla pelos turcos, propõe um diálogo imaginário entre o Verbo, Pedro, Paulo e os representantes de diversas tradições religiosas e culturais daquele tempo.

José Teixeira Neto

Mestre em filosofia pela Pontifícia Gregoriana de Roma/Itália e Doutor em Filosofia pelo Programa Interinstitucional de Filosofia – UFRN/UFPB/UFPE.

Data: 29/04/2014

 

Título: POR QUE DEUS É FUNDAMENTO DA CIÊNCIA CARTESIANA?

 

Resumo: O questionamento parte da leitura contextualizada numa reflexão baseada nos escritos de René Descartes (1596-1650), especialmente no Discurso do Método (1637) e nas Meditações Metafísicas (1641), onde são abordados os argumentos a priori e a posteriori como razões metafísicas para a existência de Deus e este como fundamento da Ciência nova. O caminho: Método (dúvida) – Cogito (eu) - Deus.

 

José Francisco das Chagas Souza

Bacharel em Teologia pelo ITER - Recife-PE.(A trindade: sociedade perfeita). Mestre em filosofia pelo Ppgfil - UFRN - Natal e doutorando – UFPB-UFRN-UFPE.

 

Data: 08/05/2014

Notícia cadastrada em: 17/03/2014 17:10
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa22-producao.info.ufrn.br.sigaa22-producao