PPGARC PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ARTES CÊNICAS DIREÇÃO DO CCHLA Telefone/Ramal: (84) 99193-6340 https://posgraduacao.ufrn.br/ppgarc

Banca de DEFESA: FRANCISCO ALEXSANDRO SOARES ALVES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.

DISCENTE: FRANCISCO ALEXSANDRO SOARES ALVES

DATA: 22/06/2011

HORA: 16:00

LOCAL: Sala 25 - Mini-auditório da Infra-Estrutura

TÍTULO:

O Nascimento da Gesamtkunstwerk Wagneriana


PALAVRAS-CHAVES:

Palavras-Chave: Wagner, Richard (1813-1883); Ópera; Teatro; Nietzsche, Friedrich (1844-1900); Música.

Key-Words: Wagner, Richard (1813-1883); Opera; Theater;Nietzsche, Friedrich (1844-1900); Music.

 



PÁGINAS: 110

GRANDE ÁREA: Lingüística, Letras e Artes

ÁREA: Artes

SUBÁREA: Teatro

RESUMO:

RESUMO: Este trabalho pretende analisar o surgimento da ópera de Richard Wagner enquanto antítese do modelo operístico predominante no século XIX, modelo tal que existe desde o final do século XVI, quando a ópera nasceu na Itália. Richard Wagner baseou a sua estética no entendimento, bastante íntimo e pessoal, da era trágica grega, de forma que pretendia, com seu teatro, o mesmo impacto social que a tragédia grega tinha com os antigos povos áticos. Minha análise é fundamentada tanto na obra teatral quanto na obra teórica de Richard Wagner. Sendo assim, também faço uso de textos de filósofos que Wagner leu ou que foram amigos íntimos do compositor, como Schopenhauer e Nietzsche respectivamente. As mudanças na forma musical e mesmo na capacidade de ouvir música, bem como o pensamento wagneriano expresso através de seus personagens dramáticos também são enfatizados nessa análise. É válido observar que Wagner não almeja emular a Grécia Antiga, como pretendia a Camarata Fiorentina. O que ele deseja é elevar o status da arte na vida moderna, dotando a arte do mesmo respeito sagrado que os antigos gregos tinham com relação a tragédia.   

ABSTRACT: This study aims to examine the emergence of the opera by Richard Wagner as the antithesis of the model prevalent in the nineteenth century opera, such model that has existed since the late sixteenth century, when the opera was born in Italy. Richard Wagner based his aesthetic on the understanding, very intimate and personal, of the Greek tragic era, so wished, with its theater, the same social impact that Greek tragedy had with the ancient peoples attics. My analysis is grounded in both the theatrical work and in the theoretical work of Richard Wagner. Therefore, I also use texts of philosophers who Wagner have read or were close friends of the composer, as Schopenhauer and Nietzsche, respectively. The changes in musical form and even the ability to hear music, and the thought expressed through its Wagnerian dramatic characters are also emphasized in this analysis. It is worth noting that Wagner does not aspire to emulate ancient Greece, as desired by the Camarata Fiorentina. What he wants is to elevate the status of art in modern life, providing the same about the sacred art of the ancient Greeks had about the tragedy.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1550297 - ALEX BEIGUI DE PAIVA CAVALCANTE
Externo à Instituição - DEYVE REDYSON MELO DOS SANTOS - UFPB
Presidente - 2306291 - TASSOS LYCURGO GALVAO NUNES
Notícia cadastrada em: 16/05/2011 16:17
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa19-producao.info.ufrn.br.sigaa19-producao