PPGARC PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ARTES CÊNICAS DIREÇÃO DO CCHLA Telefone/Ramal: (84) 99193-6340 https://posgraduacao.ufrn.br/ppgarc

Banca de QUALIFICAÇÃO: NELITA CASTRO ANDRADE

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : NELITA CASTRO ANDRADE
DATA : 25/06/2021
HORA: 14:00
LOCAL: Google Meet
TÍTULO:

O LUGAR SECRETO: TESSITURAS CRIATIVAS ENTRE TECIDOS E CORPOS

A pesquisa apresentada aborda um estudo de cunho teórico-prático a partir de discussões sobre as tessituras e cargas poéticas criativas que o corpo é atravessado na contemporaneidade. Tem por objetivo refletir sobre uma construção criativa que ponha em diálogo o tecido como elemento cênico e o corpo do intérprete na dança contemporânea, a partir de uma analogia, a significância dos tecidos que envolveram o person de Jesus Cristo, para o processo de criação em dança contemporânea. Essa pesquisa tem como metodologia a natureza qualitativa e processual da criação do O Lugar Secreto, obra solística da autora, que está pautada na abordagem fenomenológica, respaldada pelos estudiosos Merleau-Ponty (1994) e Nóbrega (2016), e entre outros autores da area da dança. A metodologia parte do entendimento que o corpo é a minha condição de existir, de aprender e de conhecer. A pesquisa artística parte de laboratórios de investigação que tem a improvisação como ferramenta para a construção cênica para fomentar o ato criativo que entrelaça corpo-pele-tecidos. O escrito está disposto da seguinte maneira: A primeira costura -  Nascimento e Bar Mizvá, introduz ao tema da pesquisa mostrando o início do processo criativo, o corpo vivido e seus retalhos do contato do intérprete com o elemento cênico – tecido, por meio da técnica de improvisação para criação em dança contemporânea. Mostra ainda, a tessitura do corpo atento, ao amadurecer em busca de uma percepção mais aguçada da cinesfera reduzida e ampliada entre intérprete e o tecido. Nesta costura discutiremos um pouco sobre o corpo e pele na contemporaneidade. E também refletiremos o corpo e pele como estruturas que não se separam, mas que são integradas e nos tornam sujeitos artísticos no modo de ser e fazer arte, para comunicar consigo, com o outro e com o mundo. A Segunda costura – Escárnio e Crucificação, trata sobre o desenvolver do processo para a construção poética da obra e suas redes de conexões para dança contemporânea. Apresenta também, as tramas tecidas para cena, numa perspectiva de criação na contemporaneidade.  A terceira e última costura – Ressurreição e Ascenção, aborda um apanhado geral da pesquisa, refletindo as relações entre o tecido como intérprete e o corpo como tecido, e suas possíveis contribuições para pesquisadores, educadores e artistas da cena contemporânea, por fim Conclusão, Tessituras Imagéticas, mostrando os resultados processuais para a criação em foco. Para esse momento da qualificação, será apresentado a introdução e o primeira costura, e o esboço da  segunda e terceira costura, para que a banca possa visualizar a estrutura do texto como um todo e me ajudar contribuindo para melhorar no que for  preciso. Para tecer essas costuras trazemos autores como: Fernandes (2002), Nóbrega e Tibúrcio (2004), Louppe (2012), Leal (2012-2013-2014), Mundim (2017) para falar sobre o Corpo-Espaço-Poética e Dança Contemporânea na contemporaneidade. Este estudo se baseia nas teorias de Salles (2010-2016) para falar sobre Processo de Criação nas artes, trago ainda Montagu (1988), para dialogar sobre os conceitos sobre a Pele. Pavis (2007) e Pelozzo (2013), sobre os Tecidos/Figurinos do ator. E por último, Almeida (2017), estudo bíblico. Além desses, dialogamos com outros autores da filosofia e artes para contribuir com a fundamentação da pesquisa.


PALAVRAS-CHAVES:

Corpos - Tecido - Tessitura - Dança Contemporânea


PÁGINAS: 50
RESUMO:

A pesquisa apresentada aborda um estudo de cunho teórico-prático a partir de discussões sobre as tessituras e cargas poéticas criativas que o corpo é atravessado na contemporaneidade. Tem por objetivo refletir sobre uma construção criativa que ponha em diálogo o tecido como elemento cênico e o corpo do intérprete na dança contemporânea, a partir de uma analogia, a significância dos tecidos que envolveram o person de Jesus Cristo, para o processo de criação em dança contemporânea. Essa pesquisa tem como metodologia a natureza qualitativa e processual da criação do O Lugar Secreto, obra solística da autora, que está pautada na abordagem fenomenológica, respaldada pelos estudiosos Merleau-Ponty (1994) e Nóbrega (2016), e entre outros autores da area da dança. A metodologia parte do entendimento que o corpo é a minha condição de existir, de aprender e de conhecer. A pesquisa artística parte de laboratórios de investigação que tem a improvisação como ferramenta para a construção cênica para fomentar o ato criativo que entrelaça corpo-pele-tecidos. O escrito está disposto da seguinte maneira: A primeira costura -  Nascimento e Bar Mizvá, introduz ao tema da pesquisa mostrando o início do processo criativo, o corpo vivido e seus retalhos do contato do intérprete com o elemento cênico – tecido, por meio da técnica de improvisação para criação em dança contemporânea. Mostra ainda, a tessitura do corpo atento, ao amadurecer em busca de uma percepção mais aguçada da cinesfera reduzida e ampliada entre intérprete e o tecido. Nesta costura discutiremos um pouco sobre o corpo e pele na contemporaneidade. E também refletiremos o corpo e pele como estruturas que não se separam, mas que são integradas e nos tornam sujeitos artísticos no modo de ser e fazer arte, para comunicar consigo, com o outro e com o mundo. A Segunda costura – Escárnio e Crucificação, trata sobre o desenvolver do processo para a construção poética da obra e suas redes de conexões para dança contemporânea. Apresenta também, as tramas tecidas para cena, numa perspectiva de criação na contemporaneidade.  A terceira e última costura – Ressurreição e Ascenção, aborda um apanhado geral da pesquisa, refletindo as relações entre o tecido como intérprete e o corpo como tecido, e suas possíveis contribuições para pesquisadores, educadores e artistas da cena contemporânea, por fim Conclusão, Tessituras Imagéticas, mostrando os resultados processuais para a criação em foco. Para esse momento da qualificação, será apresentado a introdução e o primeira costura, e o esboço da  segunda e terceira costura, para que a banca possa visualizar a estrutura do texto como um todo e me ajudar contribuindo para melhorar no que for  preciso. Para tecer essas costuras trazemos autores como: Fernandes (2002), Nóbrega e Tibúrcio (2004), Louppe (2012), Leal (2012-2013-2014), Mundim (2017) para falar sobre o Corpo-Espaço-Poética e Dança Contemporânea na contemporaneidade. Este estudo se baseia nas teorias de Salles (2010-2016) para falar sobre Processo de Criação nas artes, trago ainda Montagu (1988), para dialogar sobre os conceitos sobre a Pele. Pavis (2007) e Pelozzo (2013), sobre os Tecidos/Figurinos do ator. E por último, Almeida (2017), estudo bíblico. Além desses, dialogamos com outros autores da filosofia e artes para contribuir com a fundamentação da pesquisa.


MEMBROS DA BANCA:
Interna - 566.130.674-15 - KARENINE DE OLIVEIRA PORPINO - UFRN
Presidente - 1164369 - LARISSA KELLY DE OLIVEIRA MARQUES
Notícia cadastrada em: 15/06/2021 14:31
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa21-producao.info.ufrn.br.sigaa21-producao