PPGARC PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ARTES CÊNICAS DIREÇÃO DO CCHLA Telefone/Ramal: (84) 99193-6340 https://posgraduacao.ufrn.br/ppgarc

Banca de QUALIFICAÇÃO: THÂMARA MONIQUE CUNHA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : THÂMARA MONIQUE CUNHA
DATA : 28/06/2021
HORA: 16:00
LOCAL: Google Meet
TÍTULO:

ABRAM-SE AS CORTINAS: Uma montagem teatral como prática pedagógica inclusiva para o Ensino de Teatro


PALAVRAS-CHAVES:

Ensino de Teatro, Montagem, Inclusão, Deficiência, Apresentação Teatral


PÁGINAS: 66
RESUMO:

A pesquisa de mestrado intitulada ABRAM-SE AS CORTINAS: Uma montagem teatral como prática pedagógica inclusiva para o Ensino de Teatro, tem como objetivo analisar o processo de montagem de uma peça teatral, por intermédio de uma prática pedagógica que considere a participação de crianças com e sem deficiência em contexto escolar. A montagem estava ligada ao Projeto de Literatura e Arte da escola, que tinha como homenageado nesse ano Ariano Suassuna e cada turma ficou responsável por uma de suas obras, a escolha foi feita pelas professoras de Língua Portuguesa e Arte e os 9º anos ficaram com a peça A Pena e a Lei. Esse estudo acontece na Escola Municipal Benvinda Nunes Teixeira, no munícipio de Guamaré/RN, em três turmas de 9º ano (A, B e C), no turno vespertino, sendo que a análise se centra na turma do 9º A, a qual tinha trinta e um alunos, contando com duas alunas com deficiência. Iniciamos essa trajetória entendendo a ideia de personagem por meio das Histórias em Quadrinho, em seguida esboçamos nossas primeiras cenas com as turmas divididas em grupos e com os temas sugeridos pelos estudantes. Na segunda etapa, iniciamos uma prática com os jogos de improvisação, ato contínuo nos aproximamos do texto e da realidade da peça escolhida, passamos pelas tecnologias e experimentações da cena e iniciamos os ensaios para a apresentação. Durante esse processo, as alunas com deficiência participaram ativamente da montagem. Com efeito, uma delas preferiu acompanhar o grupo de iluminação – tecnologias da cena, já a outra quis atuar. Para essa segunda as atividades escritas eram um pouco mais difíceis e, ao longo do processo, precisamos fazer adequações. No âmbito das aulas práticas ambas participavam, enquanto os demais colegas da turma analisada entendiam o ritmo e integravam a aluna com deficiência física em todos os jogos propostos, com responsabilidade e cuidado. Em algumas etapas importantes da construção cênica as alunas não estavam presentes, diante da necessidade de ir ao médico, mas sempre tentávamos recuperar a atividade desenvolvida. Por meio desse trabalho vimos que é possível utilizar a montagem teatral como prática pedagógica envolvendo alunos com e sem deficiência ao longo do processo.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1149574 - JEFFERSON FERNANDES ALVES
Interna - 1755707 - KARYNE DIAS COUTINHO
Externo à Instituição - RUMMENIGGE MEDEIROS DE ARAÚJO - IFRN
Notícia cadastrada em: 14/06/2021 12:54
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa16-producao.info.ufrn.br.sigaa16-producao