PPGARC PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ARTES CÊNICAS DIREÇÃO DO CCHLA Telefone/Ramal: (84) 99193-6340 https://posgraduacao.ufrn.br/ppgarc

Banca de QUALIFICAÇÃO: NAARA DE OLIVEIRA MARTINS

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : NAARA DE OLIVEIRA MARTINS
DATA : 24/07/2019
HORA: 10:00
LOCAL: departamento de Artes - UFRN - Sala 38D
TÍTULO:

A gente combinamos de escrever: Poéticas Pretas e modos de autopotência na criação em Artes Cênicas.


PALAVRAS-CHAVES:

Poéticas Pretas. Escrevivência. Usos da raiva. Epistemicídio. Artes Cênicas.


PÁGINAS: 115
RESUMO:

A partir de perspectivas afrocêntricas, este estudo pesquisa a noção de Poéticas Pretas como possibilidade de autopotência na criação em Artes Cênicas e como desestabilização das estereotipias raciais nesse âmbito, entendendo tais estereotipias como práticas epistemicidas que necessitam ser problematizadas e combatidas. Inspirando-se no conto A gente combinamos de não morrer, de Conceição Evaristo, a Dissertação ora apresentada, que se intitula A gente combinamos de escrever, tece relações entre Poéticas Pretas e a produção de subjetividades Pretas, trabalhando com a importância do afeto entre nós mesmas/os (bell hooks) e com os “usos da raiva” (Audre Lorde), ambos necessários para a manutenção e sustento das nossas escrevivências. Para tanto, parte-se dos conceitos de “necropolítica”, de Mbembe, enquanto política da morte, supressora e mantenedora das narrativas hegemônicas sobre os nossos corpos; e de “encruzilhada”, de Maria Leda Martins, como reversão metodológica. Na esteira disso, esta pesquisa encruzilha epistemes de autoras e autores como Audre Lorde (1978; 2018), Abdias do Nascimento (1980), Sueli Carneiro (2003), Frantz Fanon (2008), Lélia Gonzalez (2018), Achille Mbembe (2018), bell hooks (1994), Maria Leda Martins (2003), Alice Walker (2018), Molefi Asante (2009), entres outras/os. Este trabalho é carregado de “projéteis” que laboram sobre a responsabilidade conosco mesmas/os, a de compartilharmos e difundirmos linguagens e ações. Nós temos um compromisso com a quebra do silêncio, com a sua transformação numa linguagem criativa e artística. Assim, o que interessa nesta pesquisa-encruzilhada é sobretudo a reverberação dos abalos provocados pelas Poéticas Pretas. Essas que pretendem ir além dos padrões tradicionalmente entendidos como “raça”, fazendo cintilar a ideia de que há muitas formas de enunciar essas subjetividades Pretas a partir da arte e, portanto, também na vida.


MEMBROS DA BANCA:
Externa ao Programa - 007.943.004-05 - DENISE CARVALHO DOS SANTOS RODRIGUES - UFRN
Presidente - 1755707 - KARYNE DIAS COUTINHO
Interna - 830.107.854-53 - LUCIANA DE FÁTIMA ROCHA PEREIRA DE LYRA - UERJ
Externa à Instituição - SARA ELTON PANAMBY - UERJ
Notícia cadastrada em: 02/07/2019 17:37
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa09-producao.info.ufrn.br.sigaa09-producao