PPGARC PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ARTES CÊNICAS DIREÇÃO DO CCHLA Telefone/Ramal: (84) 99193-6340 https://posgraduacao.ufrn.br/ppgarc

Banca de QUALIFICAÇÃO: MONIQUE LUCA MARITAN

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : MONIQUE LUCA MARITAN
DATA : 03/09/2018
HORA: 14:00
LOCAL: Departamento de Artes da UFRN, Sala 38D
TÍTULO:

Caboclas de lança e flor na boca - Experiência artetnográfica na cena das mulheres do Maracatu Coração Nazareno-PE


PALAVRAS-CHAVES:

Maracatu Rural; Expressão Cênica do povo; gênero; Feminismo; Cabocla de lança


PÁGINAS: 77
RESUMO:

O trabalho dissertativo busca analisar a cena e as significações de gênero do Maracatu Rural, expressão artística presente majoritariamente no município de Nazaré da Mata – Pernambuco, com foco no grupo de maracatu de mulheres, intitulado Coração Nazareno (2004). A dissertação traz à tona os aspectos das dimensões cênicas e estéticas (personagens/figuras, figurinos, máscaras, música, dança, textualidades), que definem o Maracatu Rural como ‘expressão artística do povo’. O trabalho abrange também as dimensões dos aspectos ritualísticos, a sacralidade e a espiritualidade presentes no Maracatu Rural, partindo dos estudos de Turner (1974) e Lyra (2005) acerca dos elementos rituais e sagrados na cena performática. Na discussão de gênero, busca analisar e compreender os lugares ocupados pelas mulheres do grupo e as consequentes ressignificações das relações que envolvem gênero e poder, provocadas, em especial, pela performance da cabocla de lança, uma releitura do caboclo de lança, figura fundamental do brinquedo, de tradição masculina e patriarcal. Por meio do trabalho de campo, buscou-se compreender quais esferas são alcançadas por essa transgressão e ressignificação proposta pela tomada e ocupação das mulheres nesses novos espaços e cargos dentro da tradição. O caminho metodológico utilizado na investigação em campo foi a Artetnografia, conceito desenvolvido por Luciana Lyra (2011; 2013; 2015), a partir de seu trânsito entre os campos da arte e da antropologia, e que se sugere que o encontro entre artistas e contextos de alteridade se configure como um contato intenso e subjetivo, abrangendo as tensões e ruídos fomentados por esta trama, no intuito de chegar à compreensão dos sistemas e organizações dos símbolos e significados de estruturas sociais.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - CAROLINA DIAS LARANJEIRA - UFPB
Presidente - 830.107.854-53 - LUCIANA DE FÁTIMA ROCHA PEREIRA DE LYRA - UERJ
Interno - 2200162 - TEODORA DE ARAUJO ALVES
Notícia cadastrada em: 20/08/2018 14:49
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa15-producao.info.ufrn.br.sigaa15-producao