Banca de DEFESA: MARIA CLARA DA CRUZ CARVALHO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : MARIA CLARA DA CRUZ CARVALHO
DATA : 30/11/2022
HORA: 11:30
LOCAL: Link de acesso para videoconferência: meet.google.com/qfz-jaoq-fiz
TÍTULO:

RELAÇÃO DAS VITAMINAS “A” & “E” NA INFECÇÃO POR SARS-CoV-2


PALAVRAS-CHAVES:

COVID-19; infecção respiratória; ácido retinóico; retinol; alfa-tocoferol.


PÁGINAS: 98
RESUMO:
A COVID-19 é uma doença causada pela SARS-CoV-2, um novo coronavírus identificado pela primeira vez em Wuhan (China) e se espalhou rapidamente em todo o mundo, que afeta o sistema imunológico causando uma inflamação exacerbada. As infecções virais podem levar a depleção dos níveis de algumas vitaminas, como as vitaminas A e E, e níveis de nutrientes inadequados podem ser prejudiciais à saúde. O objetivo deste estudo foi investigar se a COVID-19 afeta os níveis dessas vitaminas e como elas podem ajudar no combate à infecção. Foram realizados dois trabalhos: uma revisão sistemática e um estudo experimental . A revisão sistemática foi realizada de acordo com a declaração do PRISMA, utilizando três bases de dados diferentes. Os dados dos artigos foram coletados e analisados por dois pesquisadores independentes. A qualidade dos estudos in vivo também foi avaliada. Foram identificados 4.572 artigos, dos quais 10 preencheram os critérios de inclusão. Três deles estavam relacionados com vitamina A, dois com vitamina E e cinco relacionando ambas as vitaminas à COVID-19. O estudo experimental de caracteristica transversal foi realizado entre maio e outubro de 2020. Os dados clínicos foram coletados por entrevistas presenciais ou por contato telefônico e pelo acesso aos prontuários dos pacientes hospitalizados. Os participantes foram alocados em dois grupos de acordo com a gravidade, com um grupo de pacientes leves (n = 88) ou críticos (n = 106) e um grupo controle (n = 46). Os dados foram transferidos para o Research Electronic Data Capture e analisados pelo Statistical Package for the Social Sciences. Valores de P menores de 0,05 foram considerados estatisticamente significativos. Como resultados, deste estudo pacientes com COVID-19 apresentaram redução das concentrações de vitamina A e E, sendo abaixo ou próximo dos valores de referência para deficiência. A suplementação dessas vitaminas esteve associada a um melhor prognóstico (p<0,001). Baixas concentrações de vitamina A (<0,7 mmol/L) foram associadas a maior chances de sintomas persistentes após 90 dias. Estudos experimentais têm demonstrado que estas vitaminas podem ser alvos contra a infecção por SARS-CoV-2 e o gene I induzível com ácido retinóico (RIG-I) tem um papel importante no combate à doença por meio de diferentes mecanismos. No entanto, a capacidade terapêutica dessas vitaminas requer validação biológica adicional através de estudos mais robustos, como ensaios clínicos randomizados e avaliação da ingestão alimentar dessas vitaminas. Além disso, também são necessários estudos que avaliem os níveis séricos destas vitaminas antes da infecção.

MEMBROS DA BANCA:
Externa à Instituição - TATIANA SADALLA COLLESE - USP
Externa ao Programa - 3218336 - BRUNA ZAVARIZE REIS - nullExterna ao Programa - 2578592 - KARLA DANIELLY DA SILVA RIBEIRO RODRIGUES - nullPresidente - 1804884 - VIVIAN NOGUEIRA SILBIGER
Notícia cadastrada em: 14/11/2022 10:20
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa19-producao.info.ufrn.br.sigaa19-producao