PROGBIO/CT PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA CENTRO DE TECNOLOGIA Telefone/Ramal: (84) 99193-6265 https://posgraduacao.ufrn.br/renorbio

Banca de DEFESA: VICTOR HUGO REZENDE DUARTE

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : VICTOR HUGO REZENDE DUARTE
DATA : 30/11/2021
HORA: 08:00
LOCAL: Online (remota)
TÍTULO:
O papel do gene TREML4 no desenvolvimento de lesões ateroscleróticas em pacientes com aterosclerose subclínica

PALAVRAS-CHAVES:

Aterosclerose, Biomarcadores, TREML4, Polimorfismos, miRNAS.



PÁGINAS: 147
RESUMO:

As Doenças cardiovasculares (DCV) representam o maior percentual de morbidade e mortalidade no mundo e sua principal causa é a aterosclerose, uma doença multifatorial e inflamatória que apresenta uma longa fase assintomática e se inicia comumente durante a infância. Portanto, a identificação precisa da aterosclerose é o ponto de partida para a implantação de estratégias eficazes para a prevenção primária de DCV. O TREML4 é uma proteína membro da superfamília das imunoglobulinas expressa em diferentes tipos celulares do sistema imune, tais como monócitos e macrófagos e está relacionado com DCV. Analisamos por meio da qRT-PCR e genotipagem a expressão gênica e os polimorfismos (rs2803495 e rs2803496) de TREML4 em pacientes com Doença Arterial Coronariana (DAC) (n=137), Aterosclerose Subclínica (340) e Disfunção do Ventrículo Esquerdo Pós Infartado Agudo do Miocárdio (IAM) (65). Sujeitos que carregam os alelos de menor frequência (G e C) apresentam maior expressão de TREML4 (OR 8,01, IC 95% 3,78 - 16,99, p <0,001 e OR 10,42, IC 95% 4,76 - 22,78, p <0,001, respectivamente). Pacientes com maiores lesões nas artérias coronárias têm maior expressão de TREML4 do que indivíduos sem ou com lesões baixas e intermediárias (p<0.005). Nenhuma associação foi observada entre a expressão de TREML4 e AS ou disfunção de VE pós IAM (p> 0,05). Por meio da abordagem in silico identificamos os miRNAS: miR-181a-5p, miR-200b-3p, miR-24-3p, miR-296-5p, miR-361-5p, miR-423-5p, miR-486-3p e miR-708-5p potencialmente associados com TREML4. Desta forma, nossos resultados confirmam que os polimorfismos genéticos influenciam na expressão de TREML4 e que a expressão de TREML4 é um potencial biomarcador para etapas-chave na progressão da aterosclerose e não está relacionado a eventos anteriores a DAC e posteriores a síndrome Coronariana Aguda. Além disso, propomos que 8 miRNAs diferencialmente expresso em pacientes com DAC podem estar associados a vias inflamatórias potencialmente reguladas por TREML4.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1804884 - VIVIAN NOGUEIRA SILBIGER
Interno - 3652554 - FRANCISCO CANINDE DE SOUSA JUNIOR
Externa à Instituição - Gisele Medeiros Bastos
Externa à Instituição - LUCIANA SACILOTTO FERNANDES
Externa à Instituição - MARIA SANALI MOURA DE OLIVEIRA PAIVA - UFRN
Notícia cadastrada em: 08/11/2021 11:53
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa11-producao.info.ufrn.br.sigaa11-producao