CCHLA - PPGAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ANTROPOLOGIA SOCIAL DIREÇÃO DO CCHLA Telefone/Ramal: (84) 3342-2240 https://posgraduacao.ufrn.br/ppgas

Banca de DEFESA: MARIA PAULA FRANÇA DA SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : MARIA PAULA FRANÇA DA SILVA
DATA : 07/11/2022
HORA: 14:30
LOCAL: UFRN virtual
TÍTULO:

UMA ANÁLISE SOBRE ASSÉDIO SEXUAL NA UFRN 


PALAVRAS-CHAVES:

Palavras chave: Assédio sexual, UFRN, DCE, violência.


PÁGINAS: 120
RESUMO:

Esta pesquisa objetivou evidenciar os desdobramentos das denúncias de assédio sexual para mulheres servidoras e estudantes da UFRN. Nesse contexto, realizamos observação participante virtual nas plenárias promovidas pelo Diretório Central dos Estudantes (DCE) e em discussões acerca do tema nas redes sociais Twitter e Instagram. Também realizamos entrevistas semiestruturadas (via Google Meet) com duas servidoras da universidade, sendo: i) a primeira, vítima-denunciante; ii) a segunda, atuante no acolhimento e orientações às vítimas, além de; iii) uma integrante do DCE. A partir dos dados coletados, assim como da literatura (assédio sexual no âmbito legal, universitário, como violência e questões de gênero), verificamos que a UFRN não garante o acolhimento ou orientação às vítimas, arquivando denúncias ou dando continuidade ao processo sem punir os assediadores. Nesse sentido, há iniciativas estudantis, como as ações do DCE (plenárias de mulheres, carta ao reitor, atos de mobilização presenciais, notas de repúdio) e também de servidoras, que atuam no suporte às vítimas. Por fim, observamos que o processo de elaboração e circulação dos rumores desestimula as vítimas a denunciarem formalmente (ainda que isso ocorra nas iniciativas anteriores, de maneira informal), por medo das possíveis consequências negativas que venham a sofrer. Assim, concluímos que o assédio sexual é pautado, em sua maioria, por mulheres (que compõem a maior parte das vítimas), demonstrando que talvez exista um cooperativismo entre homens que cometem este assédio. Quanto ao posicionamento da UFRN, somente após as denúncias informais nas redes sociais, a instituição decidiu realizar uma consulta pública (em setembro de 2022) para identificar casos de assédio sexual e violências de gênero sofridas dentro da universidade. 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1691014 - ROZELI MARIA PORTO
Interna - 2313763 - ANGELA MERCEDES FACUNDO NAVIA
Interna - 1149569 - ELISETE SCHWADE
Externa à Instituição - EDILMA DO NASCIMENTO JACINTO MONTEIRO - UNIVASF

Notícia cadastrada em: 17/10/2022 15:55
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa05-producao.info.ufrn.br.sigaa05-producao