CCHLA - PPGAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ANTROPOLOGIA SOCIAL DIREÇÃO DO CCHLA Telefone/Ramal: (84) 3342-2240 https://posgraduacao.ufrn.br/ppgas

Banca de QUALIFICAÇÃO: TAYSE MICHELLE CAMPOS DA SILVA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : TAYSE MICHELLE CAMPOS DA SILVA
DATA : 03/12/2020
HORA: 14:00
LOCAL: Banca virtual
TÍTULO:

Território Indígena Mendonça: mulheres indígenas do Rio Grande do Norte na luta por direitos


PALAVRAS-CHAVES:

Mulheres indígenas; direitos; Território Indígena Mendonça; povo Potiguara


PÁGINAS: 63
RESUMO:

Esta dissertação, intitulada “Território Indígena Mendonça: Mulheres indígenas do Rio Grande do Norte na luta por direitos”, é resultado do interesse em conhecer os processos de organização e luta política das mulheres lideranças do Território Indígena Mendonça – João Câmara/RN, e como conciliam essa atuação política com o seu cotidiano nas suas comunidades. A participação das mulheres indígenas no cenário potiguar é significativa. Em todo o RN, das 14 (quatorze) comunidades indígenas, 9 (nove) são lideradas por mulheres. No Território Indígena Mendonça, das 6 (seis) comunidades indígenas existentes, 5 (cinco) delas são lideradas por mulheres. O fato de as mulheres indígenas serem maioria no movimento indígena do RN e, também, por eu ser do Território indígena Mendonça me motivou a realizar essa pesquisa com o objetivo de compreender como são os processos de atuação das mulheres no movimento indígena, a partir da visão delas sobre esses processos. A questão principal da pesquisa é identificar quais as trajetórias e experiências das mulheres lideranças indígenas e sua atuação no movimento indígena. Não pesquisar sobre o Rio Grande do Norte  que aborde especificamente a atuação de mulheres indígenas nos espaços de luta política por direitos. Com o presente trabalho, pretendo problematizar as dificuldades que essas mulheres enfrentam no seu cotidiano, até mesmo para pensar nas agências movidas por essas mulheres para chegar nos espaços de organização política. É necessário destacar a atuação dessas mulheres no sentido de garantir a sobrevivência e, principalmente, conseguir se manter no território historicamente ocupado. Garantir a visibilidade e a luta política das mulheres indígenas, a partir do olhar e da oralidade dessas mulheres é uma forma fortalecer, não só para as mulheres, mas as comunidades e movimento indígena do Rio Grande do Norte.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1337383 - JOSE GLEBSON VIEIRA
Interno - 352.407.288-79 - LEANDRO MARQUES DURAZZO - UFRN
Interna - 1360691 - RITA DE CASSIA MARIA NEVES
Externa à Instituição - ANGELA SACCHI - UFPE
Notícia cadastrada em: 03/12/2020 07:34
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa05-producao.info.ufrn.br.sigaa05-producao