Banca de DEFESA: HANNAH GIL DE FARIAS MORAIS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : HANNAH GIL DE FARIAS MORAIS
DATA : 25/06/2021
HORA: 09:00
LOCAL: PLATAFORMA REMOTA - GOOGLE MEET
TÍTULO:

IMUNOEXPRESSÃO DAS PROTEÍNAS E-CADERINA, α-SMA, TGF-β E SNAIL EM QUEILITES ACTÍNICAS E CARCINOMA EPIDERMOIDE DE LÁBIO INFERIOR


PALAVRAS-CHAVES:

Carcinoma de células escamosas. Câncer oral. Transição epitélio-mesenquimal. Prognóstico.


PÁGINAS: 125
RESUMO:

A transição epitélio-mesenquimal (TEM) é um processo biológico que vem sendo amplamente estudado em carcinoma epidermoide oral (CEO), porém, ainda raramente avaliado na carcinogênese labial. O objetivo deste estudo foi de investigar a imunoexpressão das proteínas E-caderina, α-SMA, TGF-β e Snail em queilites actínicas (QA) diagnosticadas histopatologicamente como displasias epiteliais, e em carcinomas epidermoides de lábio inferior (CELI). A imunoexpressão de E-caderina, α-SMA, TGF-β e Snail foi analisada de forma semiquantitativa em 54 casos de QAs e em 49 CELIs. Visando a associação dos achados imunoistoquímicos com as variáveis clínicopatológicas e taxas de sobrevida global (SG) e livre de doença (SLD), os casos foram classificados nas categorias baixa expressão e alta expressão.  Não foram observadas associações estatisticamente significativas entre as expressões das proteínas analisadas e o grau de severidade das displasias epiteliais em QAs. Os parâmetros morfológicos de maior agressividade demonstraram associações significativas com baixa expressão membranar da E-caderina e padrão de imunomarcação em rede/em fuso de α-SMA, ao passo que a baixa expressão dessa proteína demonstrou significância com parâmetros morfológicos de menor agressividade. As proteínas TGF-β e Snail não revelaram associações significativas com os parâmetros morfológicos. Com relação aos parâmetros clínicos, constatou-se que a baixa expressão de α-SMA no estroma do front tumoral e a baixa expressão de TGF-β em buds tumorais estiveram significativamente associados a CELIs com melhor comportamento clínico, enquanto, o padrão em rede/em fuso de α-SMA indicaram, de forma significativa, pior comportamento clínico. Não foram observadas associações significativas entre a imunoexpressão de E-caderina e Snail com os parâmetros clínicos avaliados. Associações das imunoexpressões das proteínas entre as lesões estudadas revelou resultados significativos para um aumento da expressão citoplasmática da E-caderina em CELIs, redução de α-SMA em QAs, redução de TGF-β em CELIs e aumento de Snail em QAs. A análise de sobrevida revelou que uma alta expressão de α-SMA no estroma do front tumoral, seu padrão em rede e alta expressão de TGF-β em buds tumorais estavam significativamente associadas a piores parâmetros de sobrevida em CELIs.  Os resultados do presente estudo sugerem que a imunoexpressão das proteínas E-caderina, α-SMA, TGF-β e Snail em QAs não indicam diferenças no grau de severidade histopatológica dessas lesões, enquanto nos CELIs constatou-se que seu comportamento mais agressivo estava associado a baixa expressão da E-caderina membranar, alta expressão de α-SMA e seu padrão em rede e baixa expressão de TGF-β em buds tumorais.


MEMBROS DA BANCA:
Interna - 2492713 - ERICKA JANINE DANTAS DA SILVEIRA
Externa à Instituição - HELLEN BANDEIRA DE PONTES SANTOS - FACENE
Presidente - 350484 - ROSEANA DE ALMEIDA FREITAS
Notícia cadastrada em: 10/06/2021 11:26
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2021 - UFRN - sigaa15-producao.info.ufrn.br.sigaa15-producao