Banca de DEFESA: GABRIELA MONTEIRO DE ARAÚJO

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : GABRIELA MONTEIRO DE ARAÚJO
DATA : 01/10/2020
HORA: 14:00
LOCAL: PLATAFORMA REMOTA
TÍTULO:

DESEMPENHO CLÍNICO DE LAMINADOS CERÂMICOS EM ZIRCÔNIA ULTRATRANSLÚCIDA: ENSAIO CLÍNICO CONTROLADO E RANDOMIZADO


PALAVRAS-CHAVES:

Zircônia, CAD/CAM, estética, translucidez, laminado dentário.


PÁGINAS: 90
RESUMO:

Objetivo: Avaliar a sobrevida clínica de laminados cerâmicos em zircônia ultratranslúcida, a satisfação e os impactos desse tratamento na qualidade de vida do paciente. Materiais e métodos: O estudo foi caracterizado como um ensaio clínico controlado e randomizado, duplo cego (paciente e avaliador) e de caráter longitudinal. A amostra estudada foi de 82 laminados cerâmicos divididos em dois grupos de acordo com o tipo de material, 39 laminados em dissilicato de lítio para o grupo controle e 43 em zircônia ultratranslúcida para o grupo experimental. Todos os pacientes assinaram o termo de consentimento livre e esclarecido (TCLE). O tratamento restaurador foi realizado por cirurgiões-dentistas participantes do projeto de extensão “Próteses Fixas Metal-Free”. A coleta de dados foi realizada por um único examinador nos períodos de avaliação de 1, 6, 12, 24, 36 e 48 meses. A satisfação estética de cada paciente foi avaliada através da escala visual analógica (EVA). Quanto ao impacto na qualidade de vida, um questionário modificado OIDP (Oral Impact of Daily Performances) foi usado. A análise da longevidade clínica foi feita através dos critérios modificados de Ryge conferidos com espelho clínico e explorador. Os dados referentes a sobrevida dos laminados de diferentes materiais foram representados graficamente através da curva de Kaplan-Meier. Os escores dos critérios de Ryge, e impacto na qualidade de vida do paciente foram a analisados descritivamente e os índices de satisfação estética foram analisados com o teste U de Mann-Whitney/Friedman e pós-teste Wilcoxon. Para análise estatística o nível de significância estabelecido foi de 5%. Resultados: A taxa de sobrevida clínica foi de 100% para os laminados de ambos os materiais. Apenas o critério descoloração marginal obteve uma classificação diferente de A. O escore B foi apresentado por 9 laminados de dissilicato de lítio e 2 de zircônia ultratranslúcida, A satisfação estética demonstrou diferenças estatisticamente significantes entre os materiais para o sorriso (em T0, T2, T3 e T4), cor (T2, T3, e T4), forma (em T1, T3 e T4), tamanho (T2, T3 e T4) e resultado estético (T1, T2, T3 e T4), com maior satisfação para o dissilicato de lítio. Não houve nenhuma interferência negativa do tratamento na qualidade de vida dos indivíduos. Falar e relaxar foram as atividades em que o tratamento menos interferiu. Conclusão: O tratamento com laminados confeccionados em zircônia ultratranslúcida apresenta desempenho clínico similar aos casos tratados em dissilicato de lítio.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1640419 - RODRIGO OTHAVIO DE ASSUNCAO E SOUZA
Interna - 1459400 - ADRIANA DA FONTE PORTO CARREIRO
Interna - 1678126 - PATRICIA DOS SANTOS CALDERON
Externo à Instituição - EDUARDO MIYASHITA - UNIP
Externa à Instituição - RENATA MARQUES DE MELO - UNESP
Notícia cadastrada em: 21/09/2020 15:50
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2021 - UFRN - sigaa16-producao.info.ufrn.br.sigaa16-producao