Banca de DEFESA: LILIANE CRISTINA NOGUEIRA MARINHO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : LILIANE CRISTINA NOGUEIRA MARINHO
DATA : 06/08/2020
HORA: 09:00
LOCAL: Remoto
TÍTULO:

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE EM SAÚDE ATRAVÉS DA FOTOBIOMODULAÇÃO PARA PREVENÇÃO E TRATAMENTO DA MUCOSITE ORAL EM PACIENTES SUBMETIDOS AO TRANSPLANTE DE CÉLULAS-TRONCO HEMATOPOIÉTICAS


PALAVRAS-CHAVES:

Protocolo; Fotobiomodulação; Terapia a laser de baixa potência; Mucosite oral; Transplante de células-tronco hematopoiéticas.


PÁGINAS: 72
RESUMO:

Introdução: A mucosite oral (MO) é uma inflamação da mucosa oral, bastante prevalente em pacientes submetidos ao Transplante de Células-Tronco Hematopoiéticas (TCTH) sendo uma das principais complicações associadas. A terapia de fotobiomodulação (FBM) tem sido proposta devido a sua ação preventiva e terapêutica para MO. Objetivo: Avaliar a qualidade da assistência em saúde através do processo e resultado dos protocolos de fotobiomodulação na prevenção e tratamento da MO em pacientes submetidos ao TCTH. Materiais e métodos: Estudo observacional descritivo, prospectivo e de avaliação de qualidade em saúde, adequado conforme o Squire 2.0. A amostra foi constituída por trinta e seis pacientes que receberam tratamento odontológico prévio e FBM como protocolo preventivo de mucosite oral. Quando diagnosticados com mucosite, os pacientes receberam FBM terapêutico. Os pacientes foram acompanhados e avaliados durante o regime de condicionamento (T0), um dia pós-TCTH (T1), com 5 dias pós-TCTH (T2) e com 10 dias pós-TCTH (T3). Para avaliar o processo foram utilizados os seguintes indicadores: Terapia baseada em evidências, Avaliação e registro dos sintomas em todas as visitas, Cuidado preventivo com FBM durante a internação e Plano terapêutico para irrupção de sintomas e agravamentos. Os indicadores de resultados foram expressos em percentuais, sendo eles, o Percentual de indivíduos que desenvolveram: MO; MO de acordo com a gravidade; Dor; Dor severa, leve e/ou moderada; Alterações bucais; MO segundo o sexo; MO em indivíduos leucopênicos.  Além de utilização de analgésicos durante a terapia; Redução da dor; Presença de outro tratamento associado; Indivíduos com comorbidades que desenvolveram MO e Indivíduos com transplante autólogo e alogênico que desenvolveram MO. Realizou-se análise descritiva e estatística dos indicadores através do teste não-paramétrico de Wilcoxon e do Qui-quadrado com nível de significância de 5%. Resultados: Para o processo, observou-se que em todos os indicadores, 100% da amostra obtiveram assistência dentro do padrão desejável. Os indicadores do resultado mostraram que 66,6% dos pacientes apresentaram Mucosite Oral em pelo menos um tempo de acompanhamento, com aumento estatisticamente significativo entre os tempos T1 e T2, como também entre os tempos T1 e T3 (p<0.05), com predominância do grau I (p = 0.014). Quatro pacientes (16,7%) referiram dor, tanto no T2 quanto no T3, com aumento estatisticamente significativo entre T1 e T2 (p<0.05), sendo a dor moderada a mais observada, sem relatos de dor severa. Na avaliação da contagem leucocitária, pode-se observar que no período em que os pacientes apresentaram maior número de mucosite oral (T2 e T3), exibiram quadros de leucopenia, porém sem diferenças estatisticamente significativas (p > 0,05). A MO não teve associação estatisticamente significativa com a dor, tratamento associado, leucopenia, comorbidades e o tipo de transplante, apresentando para o sexo feminino (p=0.015). Para a redução da dor não houve associação estatisticamente significativa. Conclusão: Os resultados apresentados exibiram excelentes indicadores de processo utilizados para a avaliação da qualidade da prestação do serviço em saúde. Os resultados dos protocolos da fotobiomodulação demonstraram que apesar de ainda haver o desenvolvimento de MO nesses pacientes, houve predomínio do Grau I, com menor gravidade da MO bem como da dor associada. O sexo feminino esteve mais associado ao desenvolvimento de MO.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2085732 - ANA RAFAELA LUZ DE AQUINO MARTINS
Interno - 277398 - KENIO COSTA DE LIMA
Externa à Instituição - MARIA CECILIA AZEVEDO DE AGUIAR - UNIFACEX
Notícia cadastrada em: 28/07/2020 09:40
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2021 - UFRN - sigaa25-producao.info.ufrn.br.sigaa25-producao