Banca de QUALIFICAÇÃO: ANA LARISSE CARNEIRO PEREIRA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ANA LARISSE CARNEIRO PEREIRA
DATA : 19/08/2020
HORA: 09:00
LOCAL: plataforma remota google meet
TÍTULO:

VERACIDADE DE UMA NOVA TÉCNICA DE ESCANEAMENTO INTRA-ORAL: EFEITO DA DISTÂNCIA E ANGULAÇÃO DOS IMPLANTES EM ARCOS DESDENTADOS MANDIBULARES


PALAVRAS-CHAVES:

Implantação de Prótese Dentária; Imageamento tridimensional; CAD/CAM; Arcada Edêntula.


PÁGINAS: 84
RESUMO:

Este estudo controlado não-randomizado, do tipo transversal tem como objetivo apresentar uma nova técnica de escaneamento intra-oral para aumentar a veracidade do escaneamento na capturar da angulação e distância dos implantes em arcos desdentados mandibulares. Os participantes reabilitados com prótese provisória mandibular do tipo total fixa implantossuportada retida por quatro implantes foram submetidos a três métodos de moldagem. Grupo SC (escaneamento intra-oral com os corpos digitais), grupo SD (escaneamento intra-oral com o dispositivo) e grupo CT (captura de transferência da posição dos implantes). Um scanner de laboratório foi utilizado para digitalizar os modelos mestres do grupo CT. O conjunto de dados STL foram sobrepostos. A partir disso, definiu-se um sistema de coordenadas para projeção tridimensional de cada implante. As variações nestas coordenadas para os deslocamentos lineares (∆x, ∆y e ∆z), angulares (XY, XZ e YZ) e suas variações (∆θXY, ∆θXZ e ∆θYZ) foram comparadas estatisticamente (p<0,05) (n=60/implante). Em seguida, mensurou-se as distâncias intercilíndricas (n=40). Na busca de correlações entre as distâncias e eixos das coordenadas, utilizou-se o coeficiente de correlação de Spearman (p<0,05). Quanto aos deslocamentos lineares, o grupo SD apresentou valores de veracidade melhores que o SC para o ∆y (ႿSC: 2,82; ႿSD: 0,63; p=0,017) e ∆z (ႿSC: 2,06; ႿSD: 0,70; p=0,014) quando comparado com o grupo CT. Quanto ao ∆x (ႿSC: -0,17; ႿSD: -0,21; p=0,485) diferenças estatisticamente não foram encontradas. O grupo SD apresentou menor variação angular nos três planos de projeção (∆θXY, ∆θYZ e ∆θXZ) e foi o que mais se aproximou do grupo CT, o contrário não ocorreu com o grupo SC. O grupo SD apresentou valores médios mais próximos ao CT quanto as distâncias entre os implantes (SC: 20,15; SD: 21,46; CT: 21,52; p=0,011). Não foram observadas correlação significativas entre as distâncias e eixos das coordenadas. A nova técnica de escaneamento intra-oral (grupo SD) mostrou resultados de deslocamentos lineares, angulares e distância entre os implantes superiores ao grupo SC e mais próximo ao grupo CT.


MEMBROS DA BANCA:
Interna - 1459400 - ADRIANA DA FONTE PORTO CARREIRO
Interno - 2042290 - BONIEK CASTILLO DUTRA BORGES
Interno - 1466265 - GUSTAVO AUGUSTO SEABRA BARBOSA
Notícia cadastrada em: 24/07/2020 13:52
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2021 - UFRN - sigaa01-producao.info.ufrn.br.sigaa01-producao