Banca de DEFESA: DAYANNE MONIELLE DUARTE MOURA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : DAYANNE MONIELLE DUARTE MOURA
DATA : 07/08/2020
HORA: 14:00
LOCAL: PLATAFORMA REMOTA
TÍTULO:

DESEMPENHO CLÍNICO DE COROAS UNITÁRIAS MONOLÍTICAS POSTERIORES DE CERÂMICA INFILTRADA POR POLÍMERO E DISSILICATO DE LÍTIO: RESULTADOS PRELIMINARES APÓS 12 MESES.


PALAVRAS-CHAVES:

Cerâmica infiltrada por polímero; Dissilicato de lítio; Adesão; Estética; Saúde bucal


PÁGINAS: 55
RESUMO:

Objetivo: avaliar por meio de um ensaio clínico controlado, randomizado e duplo-cego, o desempenho clínico de coroas monolíticas unitárias posteriores confeccionadas em dois tipos de cerâmica, bem como o impacto da reabilitação na satisfação estética e qualidade de vida dos pacientes. Materiais e Métodos: Um total de 20 pacientes que receberam 36 coroas foram incluídos neste estudo. Todos os pacientes assinaram o termo de consentimento livre e esclarecido (TCLE). Os dentes sob reabilitação foram alocados por meio de um sorteio simples entre os grupos:  Grupo Controle: (LD- dissilicato de lítio) e grupo Experimental (PIC -Vita Enamic/Vita Zahnfabrik). Registros fotográficos, radiográficos e informações clínicas foram coletados antes, durante e após a reabilitação. As coroas de cada grupo foram avaliadas quanto à taxa de sobrevida clínica (Critérios de USPSH modificados), satisfação estética (escala visual analógica- EVA), qualidade de vida (Oral Impacts on Daily Performances -OIDP), e tipo de falhas (biológicas e técnicas). A coleta de dados foi realizada por um único examinador calibrado e cego para o tipo de material, nos tempos de seguimento T0 (antes do início do tratamento), T1 (1 mês), T2 (6 meses) e T3 (12 meses). O OIDP e os critérios de USPHS foram analisados descritivamente. A satisfação estética foi analisada com Mann-Whitney/Teste de Friedman/ pós-testes de Wilcoxon. A análise de sobrevivência foi feita usando Kaplan-Meier seguido do teste de log-rank.  O nível de significância foi estabelecido em (5%). Resultados: 36 coroas foram colocadas em 20 pacientes com uma média de idade de 47.17 anos (±13,91), sendo 22 (56,4%) coroas do grupo controle (LD) e 14 (35,9%) para o grupo experimental (PIC). A análise de Kaplan-Meier revelou uma taxa de sobrevida de 83,5% para PIC e de 86,2% para LD sem diferenças significativas entre eles (P>0.05). Quatro falhas foram registradas, 2 em cada grupo, sendo dois descolamentos após 1(PIC) e 6 (LD) meses, uma fratura do dente (PIC) e mobilidade grau III (LD) após 12 meses de acompanhamento. Não houve diferença significativa na satisfação estética, entre o grupo controle e grupo experimental (Mann-Whitney - P>0.05). A satisfação estética foi significativamente maior após 1(T1), 6(T2) e 12(T3) meses quando comparado ao baseline (T0) (Teste de Friedman - P<0.05). A reabilitação com coroas unitárias impactou positivamente na qualidade de vida dos pacientes. Conclusão: Este estudo demonstra que coroas monolíticas unitárias de PIC e LD apresentaram um bom desempenho clínico, estético e com um impacto positivo na qualidade de vida dos pacientes após 12 meses. É necessário um período de avaliação maior para tirar mais conclusões.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1640419 - RODRIGO OTHAVIO DE ASSUNCAO E SOUZA
Interna - 1459400 - ADRIANA DA FONTE PORTO CARREIRO
Interna - 1678126 - PATRICIA DOS SANTOS CALDERON
Externo à Instituição - MARCO ANTONIO BOTTINO - UNESP
Externa à Instituição - RENATA MARQUES DE MELO - UNESP
Notícia cadastrada em: 24/07/2020 08:49
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2021 - UFRN - sigaa20-producao.info.ufrn.br.sigaa20-producao