Banca de DEFESA: MARIANA CABRAL MORENO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : MARIANA CABRAL MORENO
DATA : 04/07/2019
HORA: 08:00
LOCAL: Departamento de Odontologia
TÍTULO:

EFEITO DE SUBSTÂNCIAS TERMOGÊNICAS NO COMPORTAMENTO E NA MOVIMENTAÇÃO ORTODÔNTICA EM RATOS: UM ESTUDO EXPERIMENTAL IN VIVO

 

 

 

 

 


PALAVRAS-CHAVES:

Ortodontia, Técnicas de Movimentação Dentária, Ratos.


PÁGINAS: 63
RESUMO:

OBJETIVO: Verificar o efeito da cafeína sobre a quantidade de movimento dentário e o comportamento de ratos submetidos à movimentação ortodôntica. MÉTODOS: Neste estudo experimental in vivo randomizado, foram utilizados 30 ratos machos saudáveis da linhagem Wistar (Rattus norvegicus albinus), entre 7-12 semanas, 200-350g. Esses animais, foram submetidos à movimentação ortodôntica (mola fechada de níquel-titânio ativada entre 1molar e incisivos superiores do lado esquerdo) e administração diária das substâncias por gavagem durante 21 dias. Foram distribuídos em dois grupos de 15 animais: grupo experimental - submetidos à movimentação ortodôntica e administração cafeína; grupo controle - submetidos à mesma movimentação ortodôntica e água. A quantidade de movimento dentário foi verificado através de um compasso de ponta seca e régua milimetrada – em dois tempos: inicial e final. O teste de campo aberto foi empregado na avaliação comportamental em quatro tempos: baseline (T0), após colocação das molas (T1), após 2gavagem (T2), após 21 dias (T3). Em seguida, os testes estatísticos foram realizados em um nível de significância de 5%. Aplicou-se o teste de Mann-Whitney para a quantidade de movimento e o teste de Friedman com pós teste de Wilcoxon - ajuste deBonferroni para as variáveis de comportamento. RESULTADOS: A cafeína não interferiu na movimentação ortodôntica nos grupos experimental (cafeína) e controle (água) (> 0,05). Quanto ao teste de campo aberto, valores estatisticamente significativos (>0,05) foram identificados nos parâmetros de distância percorrida, posição em pé, velocidade, pulo, movimento ambulatório, descanso, atividades na borda e no centro. CONCLUSÃO: A cafeína não influenciou na quantidade de movimentação ortodôntica, apesar de exibir efeito em diversos aspectos no comportamento de ratos.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2665455 - HALLISSA SIMPLICIO GOMES PEREIRA
Interno - 2220417 - CARLOS AUGUSTO GALVAO BARBOZA
Externa à Instituição - PATRICIA BITTENCOURT DUTRA DOS SANTOS - UERN
Notícia cadastrada em: 25/06/2019 08:38
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2021 - UFRN - sigaa28-producao.info.ufrn.br.sigaa28-producao