Banca de QUALIFICAÇÃO: CRISTIANE ASSUNCAO DA COSTA CUNHA MAFRA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : CRISTIANE ASSUNCAO DA COSTA CUNHA MAFRA
DATA : 28/06/2019
HORA: 09:00
LOCAL: DISCIPLINA DE PATOLOGIA ORAL
TÍTULO:

AVALIAÇÃO DA ATIVIDADE ANTI-INFLAMATÓRIA E ANTIOXIDANTE DA GLICLAZIDA EM MODELO EXPERIMENTAL DE MUCOSITE ORAL INDUZIDA POR 5-FLUORACIL


PALAVRAS-CHAVES:

5-fluorouracil. Mucosite oral. Gliclazida. Estresse oxidadtivo. Inflamação.


PÁGINAS: 77
RESUMO:

A mucosite oral (OM) é uma inflamação da mucosa oral, caracterizada pela presença de áreas eritematosas, e inflamações severas na mucosa oral não queratinizada, principalmente; mucosa labial, jugal, alveolar, palato-mole, assoalho da boca, região ventral da língua. A dor intensa é a sintomatologia primária da doença e as subsequentementes ulcerações, disfagia, perda de peso, desidratação, infecções oportunistas acarretando recorrentes hospitalizações, diminuição da qualidade de vida, aumento nos custos do tratamento e até a morte.  A mucosite oral é um dos principais efeitos colaterais dos tratamentos antineoplásicos, particularmente radioterapia e / ou quimioterapia. As terapias de tratamentos são baseadas em evidências clínicas da doença, sem um protocolo único de prevenção e cura. Na perspectiva de encontrar terapias farmacológicas para prevenir inflamação e ulceração de MO, propomos a investigação do efeito pleiotrópico de drogas comerciais, entre elas a gliclazida, um anti-diabético de ação secundária anti-infamatória e anti-oxidante nunca estudada na MO. Este estudo teve como objetivo avaliar o efeito da gliclazida em um modelo MO experimental induzido por 5-fluorouracil. Hamsters machos foram pré-tratados com gliclazida oral (1, 5 ou 10 mg/kg) por 10 dias. As amostras das mucosas dos animais foram submetidas à análise histopatológica e imuno-histoquímica (COX2, iNOS, MMP-2, NFκB P65, GPx) e imunofluorescência (P-selectina). Os níveis de IL-1β e TNF-α, a atividade de mieloperoxidase (MPO) e os níveis de malondialdeído (MDA) foram investigados por análise espectroscópica ultravioleta-visível. Os níveis de proteínas a NFkB NLS P50 foram analisados por western blotting. O grupo tratado com gliclazida na dose de 10 mg / kg apresentou presença de eritema, ausência de erosão e ausência de ulceração da mucosa com escore de 1 (1-2) (p <0,01). Os dados histopatológicos do grupo tratado com gliclazida 10 mg / kg mostraram reepitelização, discreto infiltrado inflamatório mononuclear e ausência de hemorragia, edema, úlceras e abscessos com escore de 1 (1-1) (p <0,01). O tratamento com gliclazida 10 mg / kg reduziu os níveis de atividade de MPO (p <0,001), MDA (p <0,001) e NFκB NLS P50 (p <0,05), resultando em baixa imunocoloração para Cox-2, iNOS (p <0,05) , NFκB P65 (p <0,05) e imunorreacção negativa para MMP-2 (p <0,001). No entanto, parece que para Gpx1, a coloração foi restaurada no grupo GLI 10-FUT em comparação com 5FUT / solução salina (p <0,05). Imunofluorescência revelou diminuição dos níveis de P-selectina (p <0,001) após o tratamento com gliclazida 10 mg/kg (p <0,05). Em resumo, a gliclazida acelerou a recuperação da mucosa e reduziu o estresse oxidativo e a inflamação na MO induzida pelo 5-FU em hamsters.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2374605 - AURIGENA ANTUNES DE ARAUJO
Externa ao Programa - 2492944 - CAROLINE ADDISON CARVALHO XAVIER DE MEDEIROS
Interna - 2492713 - ERICKA JANINE DANTAS DA SILVEIRA
Notícia cadastrada em: 07/06/2019 11:23
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2021 - UFRN - sigaa11-producao.info.ufrn.br.sigaa11-producao