Banca de DEFESA: KARYNA DE MELO MENEZES

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : KARYNA DE MELO MENEZES
DATA : 23/05/2019
HORA: 14:00
LOCAL: Departamento de Odontologia
TÍTULO:

Comparação do enxerto de tecido conjuntivo e de uma matriz de colágeno xenógena no recobrimento radicular de recessões gengivais unitárias em fenótipo gengival fino


PALAVRAS-CHAVES:

Recessão Gengival. Matriz de Colágeno. Recobrimento Radicular. Ensaio Clínico.


PÁGINAS: 101
RESUMO:

As recessões gengivais podem causar hipersensibilidade dentinária, desconforto estético e aumentar a prevalência de cáries ou lesões cervicais não-cariosas. Cirurgias para recobrimento radicular associadas a enxertos têm sido consideradas padrão ouro no tratamento das recessões gengivais. OBJETIVO: Comparar o enxerto de tecido conjuntivo e uma matriz de colágeno xenógena no recobrimento radicular de recessões gengivais unitárias em fenótipo gengival fino, em 6 meses de acompanhamento. METODOLOGIA: Este ensaio clínico, controlado, randomizado, duplo cego, de boca dividida, avaliou 28 pacientes com recessões gengivais bilaterais submetidos à cirurgia para recobrimento radicular, através do retalho estendido associado ao enxerto de tecido conjuntivo subepitelial (grupo controle) e matriz de colágeno (grupo teste). Os parâmetros avaliados foram profundidade de sondagem, recessão gengival, nível clínico de inserção, mucosa ceratinizada e sangramento à sondagem tanto dos dentes que receberam os enxertos, como dos dentes distais e mesiais a esse. Além de espessura gengival e alteração do fenótipo gengival dos dentes que receberam os enxertos, dor pós-operatória e qualidade de vida, através do Oral Health-Related Quality of Life, no baseline, três e seis meses após a cirurgia. Os dados foram analisados estatisticamente através dos testes de Friedman, Wilcoxon, Mann-Whitney, Qui-quadrado, McNemar, ANOVA e teste t, sendo pré-estabelecido um nível de significância de 5%. RESULTADOS: 14 homens e 14 mulheres foram incluídos, com uma média de idade de 30,3 anos (± 6,2). Foram observadas reduções estatisticamente significativas para a recessão gengival e ganho significativo do nível clínico de inserção tanto dos dentes que receberam os enxertos (p<0,001), como dos dentes distais (p=0,001) e mesiais (p<0,001), na análise intragrupo, em ambos os grupos de tratamento, nos períodos avaliados. Além disso, houve aumento significativo da mucosa ceratinizada (p<0,001) e espessura gengival (p<0,001) dos dentes que receberam os enxertos, com diferença significativa entre os grupos de tratamento. O protocolo de tratamento proposto foi capaz melhorar a qualidade de vida (p<0,001). CONCLUSÃO: Ambos tratamentos resultaram em melhoria dos parâmetros clínicos avaliados, em seis meses de acompanhamento. A matriz de colágeno representa uma excelente alternativa ao enxerto de tecido conjuntivo subepitelial no tratamento de recessões gengivais unitárias em fenótipo gengival fino.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1660087 - BRUNO CESAR DE VASCONCELOS GURGEL
Externo ao Programa - 1752956 - EULER MACIEL DANTAS
Externa ao Programa - 1958729 - RUTHINEIA DIOGENES ALVES UCHOA LINS
Externo à Instituição - FERNANDO JOSE DE OLIVEIRA NOBREGA - UERN
Externo à Instituição - JOÃO BATISTA CESAR NETO - USP
Notícia cadastrada em: 10/05/2019 14:00
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2021 - UFRN - sigaa28-producao.info.ufrn.br.sigaa28-producao