Banca de QUALIFICAÇÃO: PAULO RANIERI DE ARAUJO MORAES

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : PAULO RANIERI DE ARAUJO MORAES
DATA : 15/06/2021
HORA: 14:00
LOCAL: https://meet.google.com/uoh-vpvg-sun
TÍTULO:

FATORES ASSOCIADOS AO PADRÃO SONO, SONOLÊNCIA EXCESSIVA DIURNA E OBESIDADE EM AMOSTRA POPULACIONAL DA ZONA RURAL DE CAICÓ-RN


PALAVRAS-CHAVES:

Padrão de Sono, Obesidade, Zona Rural, Sonolência Excessiva Diurna, Jet Lag social.


PÁGINAS: 74
RESUMO:

O padrão do sono expresso pelos indivíduos é um fator importante relacionado à saúde. Há evidências que a urbanização promova irregularidade e privação do sono e esteja associada aos crescentes números de sonolência excessiva diurna (SED) e obesidade no mundo, embora pouca literatura descreva tais associações em populações rurais. O presente trabalho avaliou o padrão de sono, a prevalência e níveis de SED e obesidade autorreferida em amostra populacional da zona rural de Caicó-RN. A coleta de dados foi realizada através do Questionário Sociodemográfico; Questionário de Munique, com adição de questões para avaliar cochilos; Escala de Sonolência de Epworth (ESE); e o questionamento sobre peso e estatura. Foram abordadas 320 pessoas dos quais 306 foram eletivos para o estudo, distribuídos em 9 comunidades/sítios. Houve maior prevalência de indivíduos acima de 51 anos (40%), do sexo feminino (66%), com escolaridade menor que o nível fundamental (65,5%), com companheiro(a) (76,8%), com renda mensal inferior a três salários mínimos (91%) e que não exerciam diretamente atividade rural (63,5%). A maioria dos entrevistados relatou sedentarismo (58,4%), a realização de três refeições diárias (59,4%), não fumantes (88,1%) e não etilistas (72,6%). Os horários de dormir e acordar foram antecipados (21:00h e 05:00h, respectivamente), condizentes com a predominância dos cronotipos matutino (34,4%) e intermediário (36,6%). Entre o cronotipo matutino, 92,4% relataram duração do sono suficiente. A maioria (73,8%) descreveu realizar cochilos, sendo estes com duração média de 1h. Não houve diferenças na expressão do padrão de sono entre dias semana e final de semana, resultando em baixo índice de jet lag social. Houve ocorrência de SED em 20% da amostra. O excesso de peso autorreferido foi observado em 66,3% da amostra, com associação significativa com o fator idade (p = 0,002), estado civil acompanhado (p=0,003), presença de pelo menos um dos pais obesos (p=0,01) e cronotipo matutino (p=0,032). Não verificamos a associação do excesso de peso com a privação de sono. Com base nos resultados, o perfil sociodemográfico assemelhou-se ao dos usuários frequentes do serviço de saúde naquela área. O horários de sono podem estar relacionado ao posicionamento geográfico, baixa urbanização, demanda diurna do labor rural, prevenção à exposição térmica e irradiação solar. O cochilo pode estar relacionado ao despertar precoce, bem como expressar o hábito da sesta. Desse modo, o estudo revelou que moradores da zona rural do sertão semiárido potiguar alocam o episódio de sono em atendimento aos fatores ambientais e socioculturais vivenciados, e apresentam o hábito de dormir durante o dia (“cochilo”), de forma a propiciar uma quantidade suficiente de sono, que pode estar associada à baixa prevalência de SED. O sobrepeso parece estar relacionado à idade avançada, ao gênero feminino e ao cronotipo matutino, não associado à privação de sono.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 3549899 - FABIANA BARBOSA GONCALVES
Externa ao Programa - 1110960 - JANE CARLA DE SOUZA
Externo à Instituição - LEANDRO LOURENÇÃO DUARTE - UFRB
Notícia cadastrada em: 02/06/2021 13:27
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2021 - UFRN - sigaa25-producao.info.ufrn.br.sigaa25-producao