Dissertações/Teses

Clique aqui para acessar os arquivos diretamente da Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UFRN

2022
Dissertações
1
  • MAIARA COSTA DE OLIVEIRA
  • Rumo A Maternidade: Validação De Um Aplicativo De Telemonitoramento Para Mulheres Gestantes.

  • Orientador : MARIA THEREZA ALBUQUERQUE BARBOSA CABRAL MICUSSI
  • MEMBROS DA BANCA :
  • MARIA THEREZA ALBUQUERQUE BARBOSA CABRAL MICUSSI
  • ANNA GISELLE CAMARA DANTAS RIBEIRO RODRIGUES
  • BELISA DUARTE RIBEIRO
  • Data: 27/09/2022

  • Mostrar Resumo
  • O período gestacional como também o início do trabalho de parto, evolução do parto e pós-parto são momentos vivenciados com grande expectativa pela mulher como também pela família. É esperado que essa fase que antecede o parto seja marcada pela ansiedade. Fato este que favorece a antecipação de idas às maternidades mesmo que não seja observado o trabalho de parto na fase ativa. Assim, o objetivo deste estudo é desenvolver e validar um aplicativo de telemonitoramento de gestantes no último trimestre gestacional. Trata-se de um estudo de validação envolvendo 40 participantes, sendo destes 10 profissionais da área da obstetrícia, 10 da área de tecnologia e 20 gestantes a partir da 36ª semana de gestação. Os participantes da saúde avaliaram o conteúdo do aplicativo por meio do Content Validity Index, os profissionais da tecnologia responderam a parte do questionário sobre a aparência do software e todos, incluindo as gestantes, responderam ao System Usability Scale, para avaliar a usabilidade. O aplicativo “Rumo à maternidade” foi desenvolvido com tecnologia React Native e apresenta três interfaces: Informativo, Registro de Sintomas e Minha Gestação. Observou-se que o score final do Content Validity Index foi de 0,91 para conteúdo e 0,78 para aparência. O resultado da usabilidade mostrou um valor de 0,85. Uma vez que os scores obtidos pelas avaliações foram mantidos dentro da faixa esperada para o uso do aplicativo, não foram necessárias entrevistas adicionais para a validação da ferramenta. É possível concluir que o aplicativo ‘Rumo à Maternidade’ desenvolvido e validado para o uso em língua portuguesa no Brasil, é uma ferramenta útil com boa aceitação para uso com o intuito de promover educação em saúde no terceiro trimestre de gestação e facilitar a identificação do trabalho de parto.


  • Mostrar Abstract
  • Pregnancy, the latent phase of labor, labor, and the puerperiumare are periods of
    increased expectancy not only of the woman but also of the complete family. This
    phase of life is expected to be marked by anxiety, which may favor the anticipation of
    hospital departure before the active phase of labor. Therefore, this study aimed to
    develop and validate a telemonitoring mobile application for pregnant women in their
    last gestational trimester. This validation study involved 40 volunteers, of whom 10
    were obstetrician professionals, 10 were professionals of technology, and 20 were
    pregnant women of at least 36 weeks of gestation. The health professionals evaluated
    the app content through the Content Validity Index, the technology professionals
    through the software appearance questionnaire, and the pregnant volunteers through
    the System Usability Scale to evaluate the app usability. The “Rumo à maternidade”
    app was developed with React Native technology and is composed of three interfaces
    as follows: Educational, Symptoms Record, and My Pregnancy. The final score of the
    Content Validity Index was 0.91 for content and 0.78 for appearance. Additionally,
    the usability score was 0.85. Once all obtained scores were in the expected range for
    the app usage, additional interviews were not necessary. To conclude, the mobile app
    “Rumo à Maternidade,” which was developed and validated in the Portuguese
    language in Brazil, is a helpful tool with good usage acceptance to promote health
    education during the third trimester of pregnancy and facilitate labor identification.

2
  • JÉSSIKA ALINE DO NASCIMENTO MEDEIROS
  • "Caracterização do perfil de citocinas do eixo Th1/Th2 e Th17 e do polimorfismo gênico de pacientes com câncer cervical."

  • Orientador : JANAINA CRISTIANA DE OLIVEIRA CRISPIM FREITAS
  • MEMBROS DA BANCA :
  • JANAINA CRISTIANA DE OLIVEIRA CRISPIM FREITAS
  • PAULA RENATA LIMA MACHADO
  • MARCIA EDILAINE LOPES CONSOLARO
  • Data: 24/10/2022

  • Mostrar Resumo
  • O câncer de colo de útero (CCU) é um problema de saúde pública que acomete inúmeras mulheres em todo o mundo e sua etiologia e patogenia estão intrinsecamente ligadas ao Papilomavírus Humano (HPV), representando a quarta causa de mortes entre as mulheres. Estimativas relatam que cerca de 80% das mulheres sexualmente ativas irão adquirir uma infecção ao longo da vida. Sabe-se que o sistema imune do hospedeiro, na grande maioria dos casos, consegue eliminar o vírus HPV, porém em alguns casos a paciente evoluirá para infecção persistente, que culminará com o surgimento do câncer cervical. Considerando a importância do sistema imune nesse processo, fazse necessário a compreensão das células e mecanismos envolvidos. Portanto, avaliar o padrão células T helper 1, 2 e 17 (Th1, Th2 e Th17) via quantificação de citocinas e associar o polimorfismo gênico do eixo IL-17-RA17 é o objetivo do presente estudo. Trata-se de um estudo observacional do tipo casocontrole, com aquisição dos dados e amostras de forma retrospectiva, tendo sido coletados no período de 2015 a 2019, sendo a população de estudo foi composta por 428 amostras de um grupo de pacientes com indicação de lesão intraepitelial e câncer cervical do ambulatório de Patologia Cervical e Oncologia da Maternidade Escola Januário Cicco e o Hospital Luiz Antônio da Liga Contra o Câncer, as mesmas foram estratificadas em 104 (24 %) com câncer cervical (CC), 125 (29 %) com lesão de alto grau, 86 (20 %) com lesão de baixo grau, 104 (24%) eram NILM, e 9 (3%) de lesões indeterminadas, sendo as pacientes identificadas como NILM classificadas como controle, nesse estudo. A execução desse trabalho envolve a realização do polimorfismo gênico de IL17A e IL17RA nas seguintes etapas: extração e quantificação de DNA; Reação em Cadeia da Polimerase (PCR); e eletroforese, enquanto a quantificação de citocinas foi realizada por meio do kit para citocinas BD™ Cytometric Bead Array (CBA) Human Th1/Th2/Th17. Em nossa casuística os dados apontaram que parece não haver associação do polimorfismo gênico do eixo IL-17-RA17 com o diagnóstico de CCU, ademais em nosso estudo as citocinas apresentaram valores abaixo do limite de detecção, o que pode ser justificado pela ação do HPV ser um vírus pouco citopático, imperceptível ao sistema imunológico.


  • Mostrar Abstract
  • Cervical cancer (CCU) is a public health problem that affects many women around the world and its etiology and pathogenesis are intrinsically linked to Human Papillomavirus (HPV), representing the fourth cause of death among women. Estimates report that about 80% of sexually active women will acquire an infection in their lifetime. It is known that the host's immune system, in most cases, is able to eliminate the HPV virus, but in some cases the patient will develop a persistent infection, which will culminate in the emergence of cervical cancer. Considering the importance of the immune system in this process, it is necessary to understand the cells and mechanisms involved. Therefore, evaluating the T helper cell pattern 1, 2 and 17 (Th1, Th2 and Th17) via cytokine quantification and associating the gene polymorphism of the IL-17-RA17 axis is the objective of the present study. This is a case-control observational study, with retrospective data and samples acquisition, having been collected from 2015 to 2019, and the study population consisted of 428 samples from a group of patients with indication of intraepithelial lesion and cervical cancer at the Cervical Pathology and Oncology outpatient clinic of the Januário Cicco Maternity School and the Hospital Luiz Antônio da Liga Contra o Câncer, they were stratified into 104 (24 %) with cervical cancer (CC), 125 (29 % ) with high-grade lesions, 86 (20%) with low-grade lesions, 104 (24%) were NILM, and 9 (3%) had indeterminate lesions, and the patients identified as NILM were classified as controls in this study. The execution of this work involves carrying out the gene polymorphism of IL17A and IL17RA in the following steps: DNA extraction and quantification; Polymerase Chain Reaction (PCR); and electrophoresis, while cytokine quantification was performed using the BD™ Cytometric Bead Array (CBA) Human Th1/Th2/Th17 cytokine kit. In our series, the data showed that there seems to be no association between the gene polymorphism of the IL-17-RA17 axis and the diagnosis of CC, in addition, in our study, the cytokines presented values below the detection limit, which can be justified by the action of HPV being a little cytopathic virus, imperceptible to the immune system.

3
  • ARTHUR NORONHA COSTA DO NASCIMENTO
  • TRANSMISSÃO PERINATAL DO CITOMEGALOVÍRUS EM RECÉM-NASCIDOS PRÉ-TERMO ATRAVÉS DO LEITE MATERNO.

  • Orientador : PAULA RENATA LIMA MACHADO
  • MEMBROS DA BANCA :
  • PAULA RENATA LIMA MACHADO
  • NAYARA GONÇALVES BARBOSA
  • KLEBER JUVENAL SILVA FARIAS
  • Data: 27/10/2022

  • Mostrar Resumo
  • O Citomegalovírus humano (CMV) é um vírus de DNA linear de cadeia dupla e possui uma ampla distribuição mundial, variando a sua soroprevalência conforme diversos fatores epidemiológicos. A amamentação representa uma importante via de transmissão de várias infecções da mãe para o filho incluindo a infecção perinatal por CMV. O presente estudo justifica-se pela necessidade de trabalhos que abordem a incidência de casos da transmissão perinatal e a correlação com os fatores de risco e o desfecho clínico dos neonatos prematuros, contribuindo com a melhor decisão a ser tomada para o aleitamento materno, pesando os riscos e benefícios e, por conseguinte, adotando a melhor conduta médica nas Unidades de Terapia Intensiva de Neonatologia (UTIN) acerca da segurança do leite materno. O objetivo geral desse estudo foi avaliar a transmissão perinatal do CMV em recém-nascidos (RN) prematuros provenientes de uma UTIN através do aleitamento materno. O estudo foi observacional, de coorte longitudinal, prospectivo, envolvendo RNs prematuros internados na UTIN da Maternidade Escola Januário Cicco (MEJC) durante o período de 30 de setembro de 2021 a 2 de junho de 2022 com idade gestacional inferior a 33 semanas ou peso ao nascimento inferior a 1500g, excluindo-se os casos de malformações graves ao nascimento. Todas as mães foram submetidas a coletas de sangue após o parto e testadas quanto à soropositividade para o CMV. Já as amostras biológicas de urina dos prematuros e o leite materno foram submetidas às técnicas de biologia molecular (extração, PCR e eletroforese). Os dados clínicos e laboratoriais foram obtidos a partir dos registros dos prontuários médicos obtidos pela equipe de Neonatologia da maternidade. Como resultados parciais, constatou-se a ocorrência de soropositividade para anticorpos IgG anti-CMV em 76/77 mães (98,70%) e de IgM em 3/77 pacientes (3,90%). A taxa de detecção do vírus no leite materno foi analisada em 21/63 (33%) mães com amostras de leite disponíveis. A incidência da infecção perinatal via leite materno foi analisada em 3/45 (6,66%) RNs com amostras de urina disponíveis. Não foi possível associar a infecção perinatal com os sintomas clínicos e os fatores de risco para o desenvolvimento da doença devido a limitada incidência de casos da infecção perinatal.


  • Mostrar Abstract
  •  

    Human cytomegalovirus (CMV) is a double-stranded linear DNA virus and has a wide distribution worldwide, with its seroprevalence varying according to several epidemiological factors. Breastfeeding represents an important route of transmission of several infections from mother to child, including perinatal CMV infection. The present study is justified by the need for studies that address the incidence of cases of perinatal transmission and the correlation with risk factors and clinical outcome of premature neonates, contributing to the best decision to be made regarding breastfeeding, weighing the risks and benefits and, therefore, adopting the best medical conduct in Neonatal Intensive Care Units (NICU) regarding the safety of breast milk. The overall objective of this study was to evaluate the perinatal transmission of CMV in premature newborns (NB) from a NICU through breastfeeding. The study was observational, longitudinal cohort, prospective, involving premature newborns admitted to the NICU of the Januário Cicco Maternity School (MEJC) during the period from September 30, 2021 to June 2, 2022 with gestational age less than 33 weeks or birth weight less than 1500g, excluding cases of severe birth defects. All mothers underwent postpartum blood draws and were tested for CMV seropositivity. The biological samples of preterm infants' urine and breast milk were submitted to molecular biology techniques (extraction, PCR, and electrophoresis). Clinical and laboratory data were obtained from medical records obtained by the Neonatology team of the maternity ward. Partial results showed seropositivity for IgG anti-CMV antibodies in 76/77 mothers (98.70%) and IgM in 3/77 patients (3.90%). The rate of virus detection in breast milk was analyzed in 21/63 (33%) mothers with available milk samples. The incidence of perinatal infection via breast milk was analyzed in 3/45 (6.66%) RNs with available urine samples. It was not possible to associate perinatal infection with clinical symptoms and risk factors for disease development due to the limited incidence of perinatal infection cases.

4
  • AURORA TATIANA SOARES DA ROCHA
  • Predição de sucesso na inserção do catéter central de inserção periférica em recém-nascidos.

  • Orientador : MARIA THEREZA ALBUQUERQUE BARBOSA CABRAL MICUSSI
  • MEMBROS DA BANCA :
  • SILVANA ALVES PEREIRA
  • CECILIA OLIVIA PARAGUAI DE OLIVEIRA SARAIVA
  • EDIENNE ROSANGELA SARMENTO DINIZ
  • Data: 31/10/2022

  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Recém-nascidos em estado crítico internados em Unidades de Terapia Intensiva Neonatais necessitam muitas vezes de terapia intravenosa prolongada para a recuperação da sua saúde e o catéter central de inserção periférica  é o mais indicado para a infusão segura dessas soluções. No entanto, a colocação deste catéter em recém-nascidos pode ser difícil, tornando-se um desafio para a equipe de enfermagem, predispondo o bebê a múltiplas punções periféricas, ao estresse e à dor. Um aspecto particularmente importante para esta população é a falta de dados sobre equações de predição para o sucesso na inserção desse dispositivo. Dessa forma, este estudo tem como objetivo desenvolver uma equação de predição para o sucesso na inserção do catéter central de inserção periférica em recém-nascidos. Métodos: Trata-se de um estudo observacional, retrospectivo, realizado com os prontuários de recém-nascidos internados na unidade de terapia intensiva neonatal que fizeram uso do catéter central de inserção periférica entre o período de agosto de 2018 a julho de 2021, cuja amostra foi de 359 recém-nascidos. Foram excluídos os dados de recém-nascidos duplicados ou preenchidos de forma incompleta e/ou incorreta. Foi considerado sucesso na inserção do catéter quando a ponta deste estava inserida no terço inferior da veia cava superior a partir de uma extremidade superior e no terço superior da veia cava inferior a partir de uma extremidade inferior. Foram aplicados testes de associação binária e regressão logística. Variáveis com p<0.05 mantiveram-se no modelo final da regressão. Resultados: Foram incluídos 359 recém-nascidos entre 23 a 41 semanas (mediana de 31 semanas e 4 dias), 284 estavam em ventilação mecânica (invasiva ou não invasiva) e 70 evoluíram para o sucesso de inserção do PICC. Ser prematuro extremo, muito prematuro e prematuro reduziu a probabilidade de sucesso do PICC em média de 31,2% (IC95%: 25,5 a 38,1%), 21,4% (IC95%: 17,8 a 25,7%) e 16,7% (IC95%: 14,0 a 19,8%) respectivamente. Além disso, estar em ventilação invasiva e não invasiva reduziu a probabilidade de sucesso do PICC em média de 82,4% (IC95%: 72,3 a 93,9%) e 85,3% (IC95%: 75,0 a 97,1%), respectivamente. Já  o peso do recém-nascido acima de 1500 gramas e o acesso realizado na região superior do corpo favoreceram  o sucesso do PICC em 2,5 e 2,93 vezes, respectivamente. A classificação do peso, idade gestacional, local de inserção e estar ou não em ventilação mecânica foram variáveis mantidas na equação. A equação preditiva para sucesso do PICC encontrada foi: OR sucesso PICC = 0,178 x (classif. IG) x (região) x (sup. vent.) x (classif. peso). Conclusão: A classificação de idade gestacional e estar em ventilação mecânica reduzem a probabilidade de sucesso na introdução do PICC. Enquanto que o peso > 1500 gramas e inserir o catéter na região superior aumentam a chance de sucesso do PICC. A equação preditiva encontrada é uma ferramenta prática e reprodutível que pode reduzir o risco e as complicações relacionadas ao insucesso na inserção do catéter.

  • Mostrar Abstract
  • Introduction: Newborns in critical condition hospitalized in Neonatal Intensive Care Units often need prolonged intravenous therapy for the recovery of their health and the peripherally inserted central catheter is the most indicated for the safe infusion of these solutions. However, the placement of this catheter in newborns can be difficult, becoming a challenge for the nursing team, predisposing the baby to multiple peripheral punctures, stress and pain. A particularly important aspect for this population is the lack of data on prediction equations for successful insertion of this device. Thus, this study aims to develop a prediction equation for success in peripherally inserted central catheter insertion in newborns. Methods: This is an observational, retrospective study carried out with the medical records of newborns admitted to the neonatal intensive care unit who used peripherally inserted central catheters between August 2018 and July 2021, whose sample was 359 newborns. Data on duplicated or incompletely and/or incorrectly completed newborns were excluded. Catheter insertion was considered successful when the tip of the catheter was inserted into the lower third of the superior vena cava from an upper extremity and into the upper third of the inferior vena cava from a lower extremity. Binary association tests and logistic regression were applied. Variables with p<0.05 remained in the final regression model. Results: 359 newborns were included between 23 and 41 weeks (median of 31 weeks and 4 days), 284 were on mechanical ventilation (invasive or non-invasive) and 70 progressed to successful PICC insertion. Being extremely premature, very premature and premature reduced the probability of PICC success by an average of 31.2% (95%CI: 25.5 to 38.1%), 21.4% (95%CI: 17.8 to 25. 7%) and 16.7% (95%CI: 14.0 to 19.8%) respectively. In addition, being on invasive and noninvasive ventilation reduced the probability of PICC success by an average of 82.4% (95%CI: 72.3 to 93.9%) and 85.3% (95%CI: 75.0 to 97.1%), respectively. The newborn's weight above 1500 grams and the access performed in the upper body region favored the success of the PICC in 2.5 and 2.93 times, respectively. Weight classification, gestational age, insertion site and being or not on mechanical ventilation were variables that were kept in the equation. The predictive equation for PICC success found was: OR PICC success = 0.178 x (IG classification) x (region) x (sup. vent.) x (weight classification). Conclusion: Gestational age classification and being on mechanical ventilation reduce the probability of successful introduction of PICC. While weight > 1500 grams and insertion of the catheter in the upper region increase the chance of success of the PICC. The predictive equation found is a practical and reproducible tool that can reduce the risk and complications related to unsuccessful catheter insertion.

5
  • IVETE MATIAS XAVIER
  • DESFECHOS MATERNO/FETAIS NAS SÍNDROMES HIPERTENSIVAS DA GRAVIDEZ.

  • Orientador : ANA KATHERINE DA SILVEIRA GONCALVES DE OLIVEIRA
  • MEMBROS DA BANCA :
  • ANA KATHERINE DA SILVEIRA GONCALVES DE OLIVEIRA
  • ROBINSON DIAS DE MEDEIROS
  • KLEYTON SANTOS DE MEDEIROS
  • Data: 31/10/2022
    Ata de defesa assinada:

  • Mostrar Resumo
  • Objetivo: Avaliar e comparar os desfechos materno/fetais entre mulheres com distúrbios hipertensivos na gravidez (DHGs). Métodos: Estudo observacional de coorte transversal, realizado na Maternidade Escola Januário Cicco (MEJC). Maternidade da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), referência para atendimento à gestante de alto risco. A população será composta por mulheres internadas com diagnóstico de Distúrbios hipertensivos gestacional. Como critérios de inclusão para a coorte será adotado: Todas as mulheres portadoras de Distúrbios hipertensivos gestacional. Serão excluídas: As pacientes com diagnóstico de Distúrbios hipertensivos gestacional associada com outras comorbidades , fumantes , dependentes químicas e sem condições de responder ao questionário. As informações serão coletadas nos prontuários das mulheres e dos seus recém-nascidos assistidos na MEJC, de junho de 2020 a junho de 2021, após o registro do projeto na Gerência de Ensino e Pesquisa (GEP) da MEJC e em seguida a aprovação pelo Comitê de Ética e Pesquisa do Hospital Universitário Onofre Lopes (CEP/HUOL). Resultados: Será realizada uma análise dos dados através do software estatístico SPSS 17.0, sendo estes apresentados em forma de quadros, gráficos e/ou tabelas. O teste de Qui-quadrado de Pearson e o teste exato de Fisher, quando pertinentes, serão usados para comparação dos resultados. A pesquisa seguirá as normas éticas e legais preconizadas pela Resolução 466/12 do Conselho Nacional de Saúde. Conclusão: Espera-se, com o conhecimento dos fatores determinantes dos Distúrbios hipertensivos gestacional possa contribuir para uma melhora no cuidado, de forma a diminuir a ocorrência das complicações desses problemas, beneficiando a gestante e o recém-nascido, bem como a equipe de saúde, com o aprimoramento do cuidado clínico ao binômio materno/fetal.


  • Mostrar Abstract
  • Objective: To assess and compare maternal/fetal outcomes among women with hypertensive disorders in pregnancy (DHGs). Methods: Cross-sectional observational study, carried out at the Januário Cicco Maternity School (MEJC). Maternity of the Federal University of Rio Grande do Norte (UFRN), a reference for the care of high-risk pregnant women. The population will be composed of women hospitalized with a diagnosis of Gestational Hypertensive Disorders. As inclusion criteria for the cohort will be adopted: All women with gestational hypertensive disorders. Will be excluded: Patients diagnosed with gestational hypertensive disorders associated with other comorbidities, smokers, chemical dependents and unable to respond to the questionnaire. Information will be collected from the medical records of women and their newborns assisted at the MEJC, from June 2020 to June 2021, after the project is registered with the Teaching and Research Management (GEP) of the MEJC and after approval by the Committee of Ethics and Research of the Onofre Lopes University Hospital (CEP/HUOL). Results: Data analysis will be performed using the SPSS 17.0 statistical software, which will be presented in the form of tables, graphs and/or tables. Pearson&#39;s Chi-square test and Fisher&#39;s exact test, when relevant, will be used to compare the results. The research will follow the ethical and legal norms recommended by Resolution 466/12 of the National Health Council. Conclusion: It is hoped, with the knowledge of the determining factors of Gestational Hypertensive Disorders, can contribute to an improvement in care, in order to reduce the occurrence of complications of these problems, benefiting the pregnant woman and the newborn, as well as the health team. , with the improvement of clinical care for the maternal/fetal binomial.

6
  • TATIANA CAMILA DE LIMA ALVES DA SILVA
  • AVALIAÇÃO DO NÍVEL DE FADIGA DE MULHERES NO PUERPÉRIO: UM ESTUDO DE COORTE

  • Orientador : MARIA THEREZA ALBUQUERQUE BARBOSA CABRAL MICUSSI
  • MEMBROS DA BANCA :
  • MARIA THEREZA ALBUQUERQUE BARBOSA CABRAL MICUSSI
  • ADRIANA GOMES MAGALHAES
  • GUILHERME PERTINNI DE MORAIS GOUVEIA
  • Data: 31/10/2022

  • Mostrar Resumo
  • O puerpério é um período de vulnerabilidade devido às modificações emocionais e físicas que ocorrem após o parto e que podem influenciar a qualidade de vida da mulher. Nesse contexto, a diminuição da capacidade física e mental associada à falta persistente de energia, deficiências na concentração, diminuição do tempo de repouso e sono podem favorecer a instalação da fadiga física e mental. A prevalência e incidência da fadiga no pós-parto ainda não foi estudada extensivamente e é considerada um sintoma inevitável, temporário e frequentemente vivenciado. Este estudo objetiva avaliar o nível de fadiga de mulheres no puerpério imediato e tardio e associar a fatores sociodemográficos e clínicos. Por meio de um estudo de coorte prospectivo foram recrutadas 469 mulheres em uma maternidade pública na cidade de Natal-RN, no período de Maio a Dezembro de 2021. As avaliações ocorreram no pós-parto imediato (entre 24-48 horas) e no puerpério tardio (no 1° e 3°mês após o parto). Uma ficha de avaliação contendo informações de dados sociodemográficos, clínicos, gineco-obstétrico e dados do recém-nascido foi aplicada na primeira avaliação juntamente com três questionários para avaliação da fadiga: formulário Global Short Form de saúde global autorrelatada do Sistema de informação de Medição de Resultados pelo paciente (PROMIS-GSF); inventário multidimensional de fadiga (MFI) e pictograma de fadiga. Esses dados, com exceção das informações sociodemográficas foram aplicadas um mês após a avaliação (AV2) e três mês após o parto (AV3). Foi utilizada a análise descritiva das variáveis com média, desviopadrão, mediana, percentis 25 e 75, frequências absolutas e relativas. A ANOVA de medidas repetidas foi utilizada para comparar os resultados das três avaliações de fadiga. O modelo multivariado foi ajustado para as variáveis independentes com significância ≤ 0,20 na análise bivariada e considerando a relevância clínica para a ocorrência do desfecho. A faixa etária mais prevalente foi de 26 a 34 anos, 59,5% concluíram o ensino fundamental, 47,6% apresentaram renda salarial de até um salário mínimo e 76,1% relataram ter companheiro. Nas informações obstétricas, 70,6% eram multíparas com a mediana de idade gestacional de 38 semanas, 60,5% tiveram parto normal, 95,7% amamentaram após o parto e 80,2% amamentaram em gravidezes passadas, A avaliação da fadiga nas três avaliações mostrou diferença significativa no PROMIS-GSF (p < 0,01), domínios de fadiga geral, fadiga física e redução da motivação do MFI (p < 0,01) e ao pictograma de fadiga (p < 0,01). Na AV3, o PROMIS-GSF mostrou associação da fadiga com partos prematuros (RR = 1,18; IC95%: 1,02–1,37), ausência de rede de apoio (RR = 1,14; IC95%: 1,02–1,27), baixo desempenho na amamentação (RR = 1,16; IC95%: 1,03–1,31) e maior índice de massa corporal (IMC), (RR = 1,01; IC95%: 1,005–1,018). A partir da análise dos resultados desse estudo pode-se observar a presença da fadiga no puerpério imediato e seu aumento ao longo de três meses do pós-parto. Prematuridade, ausência de rede de apoio, desempenho ruim na amamentação e maior IMC foram fatores associados a permanência da fadiga no puerpério tardio.


  • Mostrar Abstract
  • The puerperium is a period of vulnerability due to the emotional and physical changes that occur after childbirth and that can influence a woman's quality of life. In this context, the decrease in physical andmental capacity associated with a persistent lack of energy, deficiencies in concentration, decreased rest and sleep time can favor the installation of physical and mental fatigue. The prevalence and incidence of postpartum fatigue has not been studied extensively and is considered an inevitable, temporary and frequently experienced symptom. This study aims to assess the level of fatigue of women in the immediate and late postpartum period and to associate it with sociodemographic and clinical factors. Through a prospective cohort study, 469 women were recruited from a public maternity hospital in the city of Natal-RN, from May to December 2021. The evaluations took place in the immediate postpartum period (between 24-48 hours) and in the puerperium. late (in the 1st and 3rd month after delivery). An evaluation form containing information on sociodemographic, clinical, gynecological-obstetric and newborn data was applied in the first evaluation along with three questionnaires for fatigue assessment: Global Short Form of selfreported global health from the Information System of Measurement of Outcomes by patient (PROMIS-GSF); multidimensional fatigue inventory (MFI) and fatigue pictogram. These data, with the exception of sociodemographic information, were applied one month after the assessment (AV2) and three months after delivery (AV3). Descriptive analysis of variables was used with mean, standard deviation, median, 25th and 75th percentiles, absolute and relative frequencies. Repeated measures ANOVA was used to compare the results of the three fatigue assessments. The multivariate model was adjusted for independent variables with significance ≤ 0.20 in the bivariate analysis and considering the clinical relevance for the occurrence of the outcome. The most prevalent age group was 26 to 34 years old, 59.5% completed elementary school, 47.6% had a salary income of up to one minimum wage and 76.1% reported having a partner. In obstetric information, 70.6% were multiparous with a median gestational age of 38 weeks, 60.5% had normal delivery, 95.7% breastfed after delivery, and 80.2% breastfed in past pregnancies. in the three evaluations showed a significant difference in the PROMIS-GSF (p < 0.01), general fatigue domains, physical fatigue and reduced motivation of the MFI (p < 0.01) and the fatigue pictogram (p < 0.01). In AV3, the PROMIS-GSF showed an association between fatigue and premature births (RR = 1.18; 95%CI: 1.02–1.37), absence of a support network (RR = 1.14; 95%CI: 1, 02–1.27), poor breastfeeding performance (RR = 1.16; 95%CI: 1.03– 1.31) and higher body mass index (BMI), (RR = 1.01; 95%CI: 1.005 –1.018). From the analysis of the results of this study, one can observe the presence of fatigue in the immediate postpartum period and its increase over three months postpartum. Prematurity, lack of a support network, poor performance in breastfeeding and higher BMI were factors associated with the persistence of fatigue in the late postpartum period.

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2022 - UFRN - sigaa17-producao.info.ufrn.br.sigaa17-producao