Projeto Pedagógico do Curso

Baseando-se nas propostas de diretrizes curriculares para as licenciaturas em Ciências Biológicas, propõe-se que o profissional oriundo deste curso de graduação deve apresentar um sólido conhecimento dos conteúdos das Ciências Biológicas, além de um perfil que o capacite a ser:  Generalista, crítico, ético e cidadão com espírito de solidariedade;

 Detentor de adequada fundamentação teórica, como base para uma ação competente, que inclua o conhecimento:

a. Da diversidade dos seres vivos, bem como de sua organização e funcionamento em diferentes níveis, suas relações filogenéticas e evolutivas e de suas respectivas distribuições e relações como meio em que vivem;

b. De noções básicas sobre saúde e doença;

c. Capaz de orientar e mediar o ensino para a aprendizagem dos alunos;

d. Comprometido com o sucesso da aprendizagem dos alunos; e. Comprometido com os problemas da comunidade em que atua como professor; 

f. Consciente dos direitos humanos e capaz de lidar com qualquer tipo de diversidade existente entre os alunos, como por exemplo, a diversidade de gênero; g. Consciente da necessidade de atuar com qualidade e responsabilidade em seu papel de educador em prol da preservação da biodiversidade, do meio ambiente e da saúde, comprometido com a formação de cidadãos conscientes e transformadores da realidade presente, na busca de melhoria da qualidade de vida;

h. Apto a desenvolver ações de gestão no ambiente escolar;

i. Apto a incentivar atividades de enriquecimento cultural;

j. Comprometido com o desenvolvimento de práticas investigativas;

k. Capaz de elaborar e executar projetos para desenvolver conteúdos curriculares;

l. Apto a utilizar novas metodologias, inclusive tecnologias de informação e comunicação, estratégias e materiais de apoio em prol da melhoria da qualidade de ensino;

m. Apto a atuar multi e interdisciplinarmente, de modo a desenvolver hábitos de colaboração e trabalho em equipe; n. Empenhado na ampliação e atualização contínua do seu conhecimento.

O profissional formado deverá, quanto às suas competências e habilidades:

a. Pautar-se por princípios da ética democrática, com responsabilidade social, ambiental, dignidade humana, direito à vida, justiça, respeito mútuo, participação, diálogo e solidariedade;

b. Reconhecer formas de discriminação racial, social, gênero e outras, posicionando-se diante delas de forma crítica, com respaldo em pressupostos epistemológicos coerentes;

c. Atuar no ensino de Ciências e Biologia nos níveis fundamental e médio, comprometendo-se com o papel social da escola na formação de cidadãos;

d. Entender o processo histórico de produção do conhecimento das Ciências Biológicas referente a conceitos, princípios e teorias;

e. Dominar os conteúdos referentes às Ciências Biológicas, de modo que seus significados possam ser trabalhados em diferentes contextos e permitam despertar a curiosidade investigativa no aluno;

f. Dominar o conhecimento pedagógico e aplicá-lo no seu exercício profissional;

g. Estabelecer relações entre ciência, tecnologia e sociedade;

h. Aplicar a metodologia científica para o desenvolvimento de processos de investigação que possibilitem o aperfeiçoamento da prática pedagógica em diferentes contextos;

i. Utilizar os conhecimentos das Ciências Biológicas para formar cidadãos comprometidos e transformadores do contexto sócio-político;

j. Orientar escolhas e decisões em valores e pressupostos metodológicos alinhados com a democracia, com o respeito à diversidade étnica e cultural, às culturas autóctones e à biodiversidade;

k. Interagir com docentes de outras disciplinas, de modo a atuar deforma interdisciplinar;

l. Comprometer-se com o desenvolvimento profissional constante, assumindo uma postura de flexibilidade e disponibilidade para mudanças contínuas, esclarecido quanto às opções sindicais e corporativas inerentes ao exercício profissional;

m. Ser autônomo e ter iniciativa para propor mudanças no ambiente escolar, baseados em seus conhecimentos específicos e pedagógicos.

  Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) O curso é realizado no Ambiente Virtual de Aprendizagem denominado Moodle (Modular Object Oriented Dynamic Learning Environment). É um software livre que funciona em qualquer ambiente virtual que execute a linguagem PHP. A Sedis, desenvolveu um formato específico chamado Mandacaru trazendo inovação e modernidade ao seu ambiente. O Moodle Mandacaru encontra-se na terceira versão desde que a EaD se iniciou na UFRN.

É nesse espaço que encontram-se ferramentas de comunicação como fóruns, chats, web conferências, dentre outras, que permitem a interação entre professor, aluno e tutor na mediação da aprendizagem. Além disso, o ambiente apresenta recursos que possibilitam a avaliação contínua e pontual da aprendizagem, tais como tarefas ou atividades que podem ser realizadas on line e off line. No Moodle o aluno tem a experiência de conhecer e interagir com os colegas por meio das ferramentas de comunicação. Essa interação pode dinamizar e enriquecer os contatos dos alunos entre si e dos alunos com tutores e professores, aumentando o vínculo e reduzindo o risco de evasão.

3.8.2. Docência

O docente é responsável pelo planejamento do componente curricular e, a partir dos objetivos propostos, gerenciar e executar as principais atividades que envolvem o componente curricular, com o objetivo de alcançar os pressupostos das competências e habilidades a serem desenvolvidas pelos alunos. É de responsabilidade do professor o planejamento das aulas de campo, definindo o local a ser trabalhado e o momento da realização da mesma, assim como as atividades que serão desenvolvidas no laboratório de ensino. Ainda, é ele quem considera a necessidade de aulas de campo, de laboratório e / ou vídeo-aulas que facilitem o processo de aprendizagem dos alunos.

É o professor que gerencia a página da disciplina no Ambiente Virtual de Aprendizagem, orientando os alunos em seus estudos e direcionando a sua aprendizagem ativa. É ele que também orienta o tutor a distância sob sua responsabilidade e encaminha, junto ao tutor presencial, as especificidades do planejamento e as peculiaridades no decorrer do componente curricular. É de sua responsabilidade, juntamente com o tutor a distância, acompanhar a 29 participação dos alunos no Ambiente Virtual de Aprendizagem, elaborar e corrigir as atividades avaliativas.

3.8.3. Tutoria

A presença e a disponibilidade do tutor têm-se mostrado importante não 

b. Instigar o grupo à reflexão acerca da realidade escolar vivenciada e a trocas de experiências sobre as diferentes realidades encontradas pelos estagiários;

c. Contribuir com o desenvolvimento dos planejamentos dos estagiários, ajudando-os a refletirem conjuntamente sobre as ideias em curso, sugerindo e discutindo possibilidades de atividades, questões referentes aos conteúdos, materiais e textos a serem utilizados no estágio;

d. Incentivar e acompanhar o desenvolvimento das atividades preparatórias e auto avaliativas, necessárias à atuação dos estagiários a cada momento;

e. Orientar sobre a postura dos estagiários na interação com as respectivas escolas e colaboradores, conforme discutido junto aos Professores Orientadores do Estágio;

f. Orientar individualmente alunos quando identificada essa necessidade;

g. Interagir continuamente como professor orientador do estágio da UFRN, com as seguintes finalidades:  Receber ou solicitar orientações e contribuir com sugestões para as atividades a serem desenvolvidas com os grupos de apoio;

 Informar o desenvolvimento das atividades pelos alunos dos grupos;

 Solicitar ao professor orientador apoio sobre as dificuldades encontradas pelos estagiários, seja na organização das atividades didático-pedagógicas que estes irão assumir, seja na relação dos mesmos com a escola e colaborador;

 Comunicar-se regularmente com as escolas dos estagiários do curso, por telefone ou e-mail, com objetivo de informar-se sobre o desenvolvimento de cada estagiário na escola;

 Visitar as escolas campos de estágio, como objetivo de esclarecer a escola sobre a proposta para o estágio, avaliar o desenvolvimento do estágio nas mesmas, acompanhar eventuais dificuldades enfrentadas pelos estagiários e favorecer o diálogo entre UFRN e escolas no trabalho com os mesmos.

 Organizar, em parceria com os demais tutores de estágio e Coordenador do Polo, o planejamento semestral de visitas às escolas com estagiários, de modo que cada escola seja visitada por um dos tutores de estágio pelo menos uma vez no semestre; 

 Observar, para isso, orientações da equipe de orientadores do estágio sobre o calendário de estágio e demandas de contatos com escolas específicas, em função do acompanhamento dos estagiários.

A tutoria a distância é responsável pela orientação dos conteúdos específicos dos componentes curriculares a partir do planejamento realizado pelo professor responsável pelo componente. São de sua responsabilidade o atendimento dos alunos e dos tutores presenciais no ambiente virtual de aprendizagem, auxiliando também nas questões relativas ao planejamento, desenvolvimento e avaliação do componente curricular. Cada tutor a distância acompanha 100 alunos/componente curricular, devendo estar presente no ambiente virtual 16 horas/semana.

O trabalho da tutoria é orientado pelo coordenador de tutoria que é o vice coordenador do curso. A orientação dos tutores a distância é de responsabilidade do professor responsável pela disciplina como apoio da coordenação do curso. A orientação se dá através de reuniões presenciais e on line no mínimo duas vezes no semestre ou quando for necessário.

3.8.4. Material Didático

Compreende-se a educação a distância com um diálogo mediado por objetos de aprendizagem, os quais são projetados para substituir a presencialidade do professor. Nesse sentido, os materiais e objetos didáticos adquirem uma importância fundamental no planejamento de cursos a distância. A escolha das mídias a serem utilizadas pode interferir no aprendizado do aluno, se não for levada em consideração a sua realidade sócio-econômica.

Inicialmente o perfil do aluno ingressante no curso de licenciatura era daquele que residia no interior dos estados nordestinos, com idade mais avançada e professores, que buscavam pela sua primeira graduação ou formação na sua área de atuação. Hoje, devido à consolidação e credibilidade alcançada, houve um aumento no número de estudantes residentes na região metropolitana e redução da faixa etária dos ingressantes. Entretanto, mesmo esse perfil tendo se modificado ao longo de 9 anos, compreende-se que o material impresso ainda é o mais indicado e melhor aproveitado, se articulado a outros materiais de áudio e vídeo. 

No entanto, não se pode ignorar o avanço dos meios tecnológicos que facilita a comunicação, a troca e a aquisição de informação entre professores e alunos. É nesse sentido que, mesmo investindo preferencialmente em materiais impressos, projeta-se a elaboração de materiais para web e sua constante atualização.

Durante as leituras do material impresso, o aluno é convidado e estimulado a buscar outros materiais indicados em diferentes mídias, como sugestões de filmes, sites da internet e programas televisivos. Ele também é estimulado a relacionar os conteúdos propostos com experiências do dia-a-dia.

Todo o material didático impresso utilizado foi escrito e é atualizado pelos docentes do curso quando necessário. A Secretaria de Educação a Distância, dá o suporte na revisão, editoração e impressão do material, além da atualização do ambiente virtual de aprendizagem e a capacitação dos professores e tutores. Para melhor utilização dos recursos didáticos e do ambiente virtual de aprendizagem, são disponibilizados tutoriais de orientação para alunos ingressantes, tutores e professores iniciantes na modalidade a distância.São atores do processo de produção de material:

a. Equipe de professores autores: aqueles responsáveis pelos conteúdos dos materiais, sejam impressos, sejam para outras mídias. Esta equipe é composta por dois professores por disciplina, respeitada a especificidade de sua formação, previamente capacitada para respeitar o formato de escrita de materiais para EaD;

b. Equipe de revisores: responsável pela avaliação do formato de escrita para EaD e pela revisão gramatical. Formada por 6 profissionais de nível superior e competência na área, sendo 4 para revisão de formato e 2 para revisão gramatical;

c. Equipe de edição: responsável pela formatação gráfica dos materiais impressos e dos materiais para Web. Composta por 3 profissionais de artes gráficas (editor e ilustrador), 1 designer instrucional, 3 profissionais de arte web e mídias eletrônicas. Todo o processo de produção, edição e distribuição de material didático é gerenciado por uma coordenação geral da Sedis, que tem a responsabilidade de, após impressos, serem distribuídos aos Polos de Apoio Presencial a EaD.

33 3.8.5. Polos de Apoio Presencial a EaD

Os estudos e avaliações sobre as experiências de educação a distância mostram que o processo de ensino e aprendizagem são mais ricos quando os estudantes podem contar com polos regionais de atendimento. Um indicador importante é a diminuição nos índices de evasão quando os estudantes dispõem dessa referência, onde podem contar com uma infra-estrutura de atendimento e local para estudo, além da orientação e apoio afetivo dos tutores. Assim, os polos ajudam a manter o vínculo dos alunos com a Universidade.

Nesse local os alunos contam com facilidades como: salas de estudo, microcomputadores conectados à internet, supervisão acadêmica, laboratórios didáticos, biblioteca, recursos audiovisuais, serviço de distribuição de material didático. Nos Polos também serão realizadas as provaspresenciais, e são de grande importância na medida em que, também lá, o aluno pode encontrar tutoria presencial-semanal ou diária- onde pode esclarecer suas dúvidas.

Além disso, o Polo de Apoio Presencial a EaD pode oferecer seminários presenciais para introduzir ou aprofundar conteúdos de disciplinas. A tutoria a distância também é uma das atividades de um Polo, realizada através de vídeoconferência, Internet, telefone e outros meios que venham a ser necessários. Assim, o polo contribui para afixação do aluno no curso, criando uma identidade do mesmo com a Universidade e reconhecendo a importância do papel do município, como centro de integração dos alunos. O Polo colabora com o desenvolvimento regional, uma vez que pode contar com atividades diversificadas, como cursos de extensão, atividades culturais e consultorias para a comunidade.

3.8.6. Laboratórios de Atividades Práticas e Educacionais

Os Laboratórios de Ensino são locais onde são realizadas as aulas práticas, experimentais e de ensino referentes aos componentes curriculares. Estão localizados nos Polos de Apoio Presencial a EaD, onde os alunos realizam as atividades orientados pelos tutores presenciais e a distância, previamente capacitados para executar as práticas rotineiras. É de responsabilidade do professor o planejamento, encaminhamento e execução das aulas.

Os Laboratórios de Ensino contam com equipamentos, vidrarias, reagentes básicos que atendem ao desenvolvimento de atividades práticas e experimentais propostas no curso. Os laboratórios que pertencem aos municípios Polos são 34 mantidos pelas Prefeituras Municipais e os que pertencem às UFRN, tem a IEs como mantenedora. Além das aulas práticas e experimentais realizadas nesses locais, os alunos também contam com aulas de campo, com a participação e orientação dos tutores presenciais e dos professores, que se deslocam até os Polos em datas previamente agendadas.

3.8.7. Momentos Presenciais

Além dos momentos de interação com o tutor presencial, com o tutor a distância e com o professor no AVA, e das atividades grupais previstas no desenvolvimento dos componentes curriculares, os alunos têm encontros presenciais com a coordenação do curso e com a equipe responsável pelos componentes no curso.

A coordenação do curso se faz presente nos Polos de Apoio Presencial a EaD em pelo menos dois momentos durante o semestre letivo: (1) Início do semestre, momento de confraternização e apresentação do projeto político pedagógico do curso, e da realização das orientações de natureza acadêmica e inerentes à modalidade de ensino. Neste momento, a coordenação pode ser acompanhada por docentes do curso, que na ocasião apresentam seu componente curricular; (2) Término do semestre, momento em que a coordenação solicita dos alunos um retorno sobre o que foi desenvolvido no decorrer do semestre, identificando os pontos positivos e negativos.

A equipe responsável por um componente curricular se faz presente no Polo de Apoio Presencial a EaD pelo menos uma vez no semestre, seja supervisionando uma atividade prática, seja promovendo uma atividade do tipo palestra, de modo a poder observar o desenvolvimento do aprendizado por parte dos alunos, avaliar junto a eles o desempenho da tutoria e, quando for o caso, programar materiais suplementares.

Esses momentos são organizados pela Coordenação do Curso, que se encarregará de: (1) Organizar cronograma de visitas dos professores responsáveis pelos componentes; (2) Fornecer aos professores o relatório dos tutores para subsidiar a avaliação da disciplina, durante a visita; (3) Planejar e coordenar, juntamente com os tutores e os coordenadores dos polos, as atividades culturais, a solenidade de abertura e de encerramento de semestre.

Caberá à coordenação do Polo de Apoio Presencial a EaD garantir a presença do tutor no polo nos dias de visitas presenciais e providenciar condições de infra-estrutura e apoio logístico para a visita dos professores. Aos tutores compete receber os alunos nos dias e horários determinados, organizar, como apoio do professor responsável, as atividades práticas e grupais. Além desses momentos, os alunos terão atividades presenciais referentes às AACC, extensão, momentos culturais, tais como espetáculos teatrais, musicais, exposições de artes plásticas e cinema. Também são planejadas atividades vivenciais e/ou workshops que estimulem nos alunos a reflexão crítica com relação a suas práticas cotidianas.          

O processo de avaliação da aprendizagem é entendido com o um processo de acompanhamento do aluno em seu aprendizado, muito mais que um método de aferir resultados. Assim, ele é desencadeado em vários momentos e não apenas ao final do período, e servirá para correções quanto ao momento e à adequação dos materiais fornecidos, ao desempenho da tutoria e das orientações acadêmicas, e quanto à necessidade ou não de materiais de reforço.

É uma avaliação processual, com vistas ao objetivo final que é o aprendizado do conteúdo por parte dos alunos. O sistema de avaliação para cada componente curricular se dá nos seguintes níveis:

a. Auto avaliação, através de exercícios disponíveis ao final de cada unidade do programa, de modo que o próprio aluno tenha condições de aferir o seu desempenho;

b. Avaliações individuais escritas, presenciais ou on line, sendo uma avaliação obrigatória presencial por componente curricular;

c. Avaliação individual feita pelo tutor presencial, na qual se observará o andamento do processo de aprendizagem, da motivação, do empenho do aluno, muito mais do que a aquisição de conteúdo;

d. Avaliação das atividades grupais feitas pelo tutor presencial, na qual se observará o funcionamento do grupo e dos indivíduos dentro do grupo, bem como o rendimento dos processos coletivos. Essa avaliação será feita sempre que a disciplina desenvolver atividades dessa natureza; 

e. Avaliação final sob a forma uma atividade, na qual todos os alunos apresentam o resultado de seus trabalhos práticos e de investigação, os quais deverão ter como princípio norteador a multidisciplinaridade.

Baixar Arquivo
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2021 - UFRN - sigaa03-producao.info.ufrn.br.sigaa03-producao