Projeto Pedagógico do Curso

Considera-se que o perfil profissional do egresso dos cursos de Graduação Bacharelado em Fonoaudiologia, profissional da área da saúde e que atua na educação, deve contemplar como se organiza o sistema de saúde e educação vigente, sua função social como profissional, sua contribuição para a saúde e educação no âmbito individual e coletivo, baseada em estratégias de promoção de saúde, prevenção de danos e agravos, recuperação e reabilitação à saúde, bem como aprimoramento da comunicação humana, respeitando a realidade social e o saber popular.

Tendo como referencial o perfil profissional delineado pelo curso de Fonoaudiologia
da UFRN,

 objetiva-se que o aluno desenvolva e aprimore um conjunto de competências e
atitudes em sua formação profissional:
(1) Desempenhar ações individuais e coletivas, voltadas à prevenção, promoção, proteção, educação e reabilitação da saúde, tanto em nível individual quanto coletivo, nos diferentes níveis da rede de atenção à saúde e visando a integralidade da assistência;
(2) Desenvolver competência técnico-científica com elevado padrão de qualidade, norteada pelos princípios do SUS e da ética/bioética;
(3) Desenvolver competência para atuar em prol da promoção da saúde, do bem-estar e da qualidade de vida dos pacientes, familiares e da comunidade, levando em consideração as questões clínicas, éticas, políticas, sociais e culturais;
(4) Desenvolver a capacidade de analisar o custo-efetividade dos procedimentos e/ou práticas de sua competência e, considerando a estrutura de atendimento disponível, adotar a tomada de decisão mais assertiva para cada caso específico, estando fundamentada em evidências científicas;
(5) Desenvolver competência para avaliar, diagnosticar, reavaliar, prevenir, habilitar, reabilitar e definir condutas em todos os aspectos relacionados às áreas de atuação fonoaudiológica, assim como para proceder o encaminhamento adequado do paciente a outros profissionais, sempre que necessário;
(6) Desenvolver a capacidade de executar trabalhos em equipes multi e interdisciplinares, com adequada interação e comunicação com os demais profissionais da equipe e também com a comunidade em geral, mantendo a confidencialidade das informações;
(7) Desenvolver a capacidade para realizar orientações e esclarecimentos aos pacientes e os seus familiares sobre o processo de avaliação, diagnóstico, condutas e o processo terapêutico;

(8) Desenvolver a autonomia pessoal e intelectual para a busca permanente e continuada de aperfeiçoamento profissional, e a responsabilidade de manter-se atualizado em relação à eficácia dos recursos tecnológicos e científicos pertinentes à atuação profissional do fonoaudiólogo, tendo em vista a manutenção da qualidade do atendimento;
(9) Desenvolver a capacidade de elaborar e emitir laudos, pareceres, atestados e relatórios, seguindo as recomendações dos Comitês e Conselhos da área e as normativas que regem o exercício da profissão.


      A metodologia do curso envolve recursos didático-pedagógicos que integram a teoria e a prática centradas em situações problematizadoras de aprendizagem, visando a construção do conhecimento necessário à formação e qualificação profissional, em consonância com a dinâmica e as modificações epidemiológicas e sociais da região.
      O currículo do curso busca estreitar a relação entre teoria e prática, favorecendo assim, a aquisição de conhecimentos necessários à concepção de atenção à saúde voltadas para a prática fonoaudiológica. Neste contexto, na nova matriz curricular as atividades práticas e componentes específicos da área estão previstos desde períodos iniciais do curso, visando o desenvolvimento de habilidades, competências e valores no confronto das práticas que propiciam vivenciar em um trabalho interdisciplinar, as exigências e a responsabilidades necessárias à atuação profissional.
       Assim, considerando a concepção de aprendizagem que valoriza uma estreita relação entre o estudante e o objeto de estudo, o aluno passa a ter um papel mais ativo no processo de ensino e aprendizagem, e o professor assume um papel de mediar e incentivar a construção de conhecimentos e desenvolvimento de competências e habilidades inerentes à formação. Os docentes têm utilizado cada vez mais frequentemente estratégias de ensino envolvendo inovações e/ou tecnologias de informação e comunicação, tais como computadores, internet e outros recursos.
      As estratégias mais frequentemente utilizadas pelos docentes têm sido: aula dialogada, aula prática, análise crítica de artigo científico, portfólio, estudo dirigido, seminário, estudo de caso e visitas monitoradas. Importante ressaltar que existe uma preocupação quanto à flexibilização da metodologia empregada para viabilizar a
acessibilidade dos estudantes com necessidades educacionais especiais, contando com o suporte da Comissão Permanente de Apoio a Estudantes com Necessidades Educacionais Especiais (CAENE) se necessário.
      Considerando os princípios, objetivos e perfil profissional, a estrutura curricular do Curso atende às exigências da formação do Fonoaudiólogo, com o aprofundamento de conhecimentos, domínio de procedimentos metodológicos e de técnicas clínicoterapêuticas.
       A organização curricular do curso de Fonoaudiologia encontra-se em consonância com a Resolução CNE/CES nº 5/2002, art. 6º, I a III, sendo constituída de conteúdos situados nas Ciências Biológicas e da Saúde, Ciências Humanas e Sociais e Ciências Fonoaudiológicas.
Os eixos de formação estão assim estabelecidos:
(1) Fundamentos do processo normal e do desenvolvimento típico, no âmbito biológico, biofísico, linguístico e comportamental;
(2) Fundamentos em patologias em geral, voltados ao estudo das alterações estruturais e funcionais das células, dos tecidos e dos órgãos e das alterações comportamentais no âmbito da comunicação e das funções orofaciais;
(3) Atuação clínica em diagnóstico e intervenção dos distúrbios da linguagem, fluência, audição, voz e funções orofaciais;
(4) Atuação extramuro e em práticas de prevenção a danos e agravos à saúde e aprimoramento;
(5) Formação em Saúde Coletiva;
(6) Formação em Pesquisa.
      Os conteúdos relacionados ao meio ambiente são abordados de forma transversal e integrada aos conteúdos dos componentes curriculares obrigatórios do curso, bem como são abordados em atividades de ensino e extensão por meio de campanhas de adoção de hábitos responsáveis com o meio ambiente. Os conteúdos relacionados a relações étnico raciais e direitos humanos além de serem abordados de forma transversal em componentes do curso, são diretamente discutidos nas disciplinas obrigatórias de Sociologia da Saúde e Ética profissional em Fonoaudiologia. Em relação à Língua Brasileira de Sinais é ofertado um componente específico de caráter obrigatório e os conteúdos de educação especial e Transtorno do Espectro Autista são abordados em
 omponentes curriculares da área da linguagem e também em atividades de pesquisa e extensão.
       Tendo em vista as mudanças observadas no que se refere à atenção à saúde da população que elege a Estratégia Saúde da Família (ESF) como um eixo estruturante da Política Nacional de Saúde, há a necessidade do profissional da Fonoaudiologia participar ativamente nas ações desenvolvidas pelos Núcleos Ampliados de Saúde da Família e Atenção Básica (NASF-AB) de modo a contribuir para o fortalecimento desta Política.
Pautado nesta portaria, o Curso de Fonoaudiologia propõe que a prática das ações realizadas no âmbito da Atenção Básica possa colaborar para a plena integralidade do cuidado físico e mental aos usuários do SUS, por intermédio da qualificação e complementaridade no trabalho das equipes na ESF.
     A carga horária prática do curso consiste em componentes obrigatórios, totalizando 915 horas, nas áreas de audiologia, linguagem, fluência, motricidade orofacial, disfagia, voz e saúde coletiva. Tais atividades são desenvolvidas na Clínica Escola do Curso e também em estágios extramuros, a saber: HUOL, Maternidade Escola Januário Cicco, Centro Auditivo SUVAG e Unidades Básicas de Saúde da cidade do Natal, todos supervisionados
pelo professor. Considerando que a aprendizagem é mais eficaz quando adquirida por meio da experiência, as disciplinas práticas são oferecidas desde o quarto semestre. Ademais, é prevista a possibilidade de realização por parte dos estudantes de estágios curriculares não obrigatórios seguindo legislação vigente (Lei 11.788, de 25 de setembro de 2008 –Presidência da República; Orientação Normativa no 07, de 30 de outubro de 2008 –
Secretaria de Recursos Humanos / Ministério do Planejamento Orçamento e Gestão; Resolução 178/1992 – CONSEPE; e Resolução 171/2013 – CONSEPE.)
      O Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) representa uma exigência do Conselho Nacional de Educação, resolução CES 05/2002, que institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para os Cursos de Graduação em Fonoaudiologia. Portanto, na matriz curricular é prevista sua realização como uma atividade obrigatória, realizada sob orientação docente. Tal atividade se configura como de fundamental importância para a formação em
pesquisa, desenvolvimento científico e difusão do conhecimento da área. O TCC pode ser confeccionado em formato de artigo científico ou monografia e a avaliação será direcionada por duas modalidades, (1) processo de orientação do TCC e (2) apresentação do TCC a uma banca examinadora, seguindo as normativas estabelecidas na Resolução nº 01/2018 – CCF.
       No que se refere às atividades complementares, estas se configuram como um conjunto de estratégias didático-pedagógicas que possibilitam a complementação dos saberes e maximização do desenvolvimento de competências e habilidades inerentes à formação profissional. Não obstante, permitem a articulação entre teoria e prática e ampliam a indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão e a flexibilização curricular, uma vez que o estudante pode efetuar escolhas de acordo com as áreas de seu interesse.
      A carga horária mínima obrigatória de atividades complementares é de 180 horas que devem ser cumpridas nos eixos ensino, pesquisa e extensão, conforme Resolução nº02/2018 – CCF.

      Além do ensino é objetivo do Curso de Fonoaudiologia incentivar a pesquisa científica, entendendo que o desenvolvimento do campo do saber se dá quando a ele são atribuídos questionamentos voltados à teoria e à prática/clínica. A partir destes questionamentos, o discente terá condições de construir novos pressupostos que fogem a mera repetição da prática intuitiva. No curso é crescente o quantitativo de projetos de iniciação científica, com bolsas remuneradas ou voluntárias, com temáticas em diferentes áreas da Fonoaudiologia, o que permite ao estudante a possibilidade de pleitear a realização de pesquisa em áreas de seu interesse.
       Também se configura uma iniciativa do Curso a realização de ações de extensão que aproximam o processo formativo à comunidade, reafirmando o compromisso social da universidade. Nesse sentido, são desenvolvidas ações de extensão nas diferentes áreas da Fonoaudiologia que propiciam oportunidades para que os estudantes se aproximem da prática e do contato com a realidade desde os períodos iniciais do curso, além de vivenciar, muitas vezes em trabalhos interdisciplinares, as exigências e as responsabilidades exigidas na atuação profissional.
Diante do exposto, é notório que no currículo do curso preconiza-se fortalecer os três eixos da universidade. Atualmente há diferentes grupos de pesquisa vinculados ao curso devidamente cadastrados no Diretório dos Grupos de Pesquisa do Brasil no CNPq e os docentes efetivos ativos do Departamento de Fonoaudiologia estão envolvidos em 18 projetos de extensão, 15 projetos de pesquisa e um projeto de ensino cadastrados no SIGAA.
Adicionalmente, o curso se articula diretamente com o Programa de Pós graduação Associado em Fonoaudiologia UFPB/UFRN (PPGFON) e o Programa de Residência Multiprofissional em Unidade de Terapia Intensiva Neonatal da Maternidade Escola Januário Cicco, tendo como principais eixos integrativos, a docência assistida, projetos de pesquisa e extensão com equipe envolvendo estudantes de graduação e pós graduação e a realização de eventos integrados. Alguns docentes do Departamento são credenciados a outros Programas de Pós-graduação que, de forma mais indireta, também se articulam com o curso, ampliando as possibilidades da interdisciplinaridade.

          Como a construção de um Projeto Pedagógico de um curso de graduação ocorre de forma processual, que necessita de constante acompanhamento, avaliação, reformulação e discussão, oficinas e atividades departamentais, ou na esfera maior da universidade, que propiciem momentos de qualificação, planejamento e reflexão devem fazer parte das atividades pedagógicas desempenhadas por cada curso. Além disso, o sistema de avaliação do novo projeto pedagógico do curso de Fonoaudiologia prevê a avaliação didático-pedagógica do professor realizada pelos alunos, a autoavaliação por parte do docente, avaliação do curso e do projeto pedagógico, avaliação do processo ensino-aprendizagem, acompanhamento do egresso. Essa avaliação do Curso deve ser realizada em consonância com o Plano de Avaliação Institucional da UFRN, Comissão Própria de Avaliação e com a Coordenação do Curso de Fonoaudiologia e Núcleo Docente Estruturante. 

Baixar Arquivo
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2021 - UFRN - sigaa10-producao.info.ufrn.br.sigaa10-producao